Numa época sem cultura…

“Uma cultura é como uma grande organização que atribui a cada um de seus membros um lugar em que ele pode trabalhar no espírito do conjunto; e é perfeitamente justo que o seu poder seja medido pela contribuição que consegue dar ao todo. Numa época sem cultura, por outro lado, as forças tornam-se fragmentárias e … Continuar a ler

Não conseguir ver em que esteja errada…

“Como alguém que tem uma longa experiência das dificuldades da lógica e de decepções a respeito de teorias que parecem irrefutáveis, acho-me incapaz de ter certezas sobre a correcção de uma destas com base apenas no facto de não conseguir ver qualquer aspecto em que esteja errada. Mas ter construído uma teoria da lógica que … Continuar a ler

Tudo isto é uma repetição

«Freud tem razões muito inteligentes para dizer o que diz, uma grande imaginação e preconceitos colossais, e preconceitos que podem enganar as pessoas.» (…) Por exemplo a opinião de Freud segundo a qual a angústia é sempre de alguma forma uma repetição da angústia que sentimos ao nascer. Não estabelece essa opinião através da referência … Continuar a ler

Tudo que é real

«Russell disse que a memória não pode provar que aquilo de que lembramos efectivamente ocorreu, porque o mundo poderia ter começado a existir cinco minutos atrás, deixando tais memórias intactas. Poderíamos ir adiante e dizer que ele poderia ter sido criado um minuto atrás, e, finalmente, que ele poderia ter sido criado no momento presente. … Continuar a ler

Memória (XVIII)

“Parece-nos como se a memória fosse algum tipo de experiência secundária, quando comparada com a experiência do presente. Nós dizemos que nos “Podemos apenas lembrar daquilo”. Como se, num sentido primário, a memória fosse uma imagem de algum modo fraca e incerta do que nós originalmente tínhamos ante nós com total clareza.” Ludwig Wittgenstein (1889-1951)

Compreender uma linguagem

“O signo obtém o seu significado, do sistema de signos, da linguagem à qual pertence. Numa palavra: compreender uma frase significa compreender uma linguagem.” Ludwig Wittgenstein (1889-1951)       

"A imagem lógica dos factos constitui o pensamento"

O signo proposicional 3. A imagem lógica dos factos constitui o pensamento. 3.001 – “Um estado de coisas é pensável” significa: nós podemos fazer dele uma imagem. 3.01 – A totalidade dos pensamentos verdadeiros constitui uma imagem do mundo. 3.02 – O pensamento contém a possibilidade do estado de coisas que ele pensa. O que … Continuar a ler

Os estados de coisas

Os estados de coisas 2.03 – No estado de coisas os objectos se ligam uns aos outros como elos de uma cadeia.   2.031 – No estado de coisas os objectos se comportam uns em relação aos outros de uma maneira determinada. 2.032 – A maneira pela qual os objectos se ligam no estado de … Continuar a ler

Imobilidade

“Não aprendo explicitamente as proposições que são ponto assente para mim. Descubro-as subsequentemente como o eixo em torno do qual roda um corpo. Este eixo não está fixo no sentido de haver alguma coisa a segurá-lo, mas o movimento em torno dele determina a sua imobilidade.” Ludwig Wittgenstein (1889-1951) In.: Da certeza

Quem não tiver a certeza de facto nenhum

  “Quem não tiver a certeza de facto nenhum, também não pode ter a certeza do que significam as suas próprias palavras.” Ludwig Wittgenstein (1889-1951)

Devem ser evidentes para mim

“A Bíblia não é nada além de um livro diante de mim. (…) Este documento não pode, em si, ligar-me a nenhuma fé nas doutrinas que ele contém – tanto quanto outro documento qualquer que caísse nas minhas mãos. Se devo crer em tais doutrinas, não é porque me contam isso e não aquilo. Elas … Continuar a ler

Não pode estar no mundo

“[…] Todo acontecer e ser-assim é casual. O que o faz não-casual não pode estar no mundo” Ludwig Wittgenstein (1889-1951)

Emancipação da consistência

“De facto, mesmo neste estágio, prevejo que haverá um tempo de investigações matemáticas de cálculos contendo contradições, e as pessoas orgulhar-se-ão realmente de se ter emancipado até mesmo da consistência.” Ludwig Wittgenstein (1889-1951)

Linguagem, um aspecto da acção humana

“[…] uma linguagem é um aspecto da acção humana, enraizada no comportamento humano. Ela não surgiu a partir de algum tipo de raciocínio. Falar é agir; e verbalizar palavras e sentenças está entrelaçado a actividades humanas que ocorrem dentro do mundo do qual somos parte. Uma linguagem em uso é parte de uma forma de … Continuar a ler

TRACTATUS LOGICO-PHILOSOPHICUS

Sinopse do TRACTATUS LOGICO-PHILOSOPHICUS DE WITTGENSTEIN (1918/1921) 1 – O mundo é tudo o que ocorre. 1.1 – O mundo é o conjunto dos factos, não das coisas. 1.11 – O mundo é determinado pelos factos, estes factos sendo a totalidade dos factos. 1. 12 – Porque a totalidade dos factos determina aquilo que ocorre … Continuar a ler

Uma luta contra o enfeitiçamento

“A filosofia é uma luta contra o enfeitiçamento do nosso entendimento pelos meios da nossa linguagem” Ludwig Wittgenstein (1889-1951)

Personalidade do mês – Setembro 2007: Ludwig Wittgenstein (1889-1951)

“Uma criança pequena palra muitas vezes só pelo prazer de fazer barulhos. E essa é uma das razões pelas quais os adultos falam. E há inúmeras outras.” Ludwig Wittgenstein (1889-1951) ________________________________________________________________ Personalidade do mês (Setembro-2007): Ludwig Wittgenstein (1889-1951)

Uma casualidade

“O sentido do mundo deve estar localizado fora dele. No mundo tudo é como é e tudo acontece como acontece, não há nele nenhum valor – e se houvesse, ele não teria nenhum valor. Se há um valor que tenha valor, ele deverá estar localizado fora de todos os acontecimentos e fora do estar-assim. Pois … Continuar a ler