«Os governos não exprimem a ´maturidade` em desenvolvimento de um povo»

  (em português-br) “Existe um aforismo liberal-evolucionista: cada povo tem o governo que merece. A História, no entanto, demonstra que um mesmo povo pode ter, no transcurso de uma época relativamente curta, diferentes governos (Rússia, Itália, Alemanha, Espanha etc.) e, ainda mais, que a ordem destes governos não segue absolutamente na mesma direção do estatismo … Continuar a ler

A incompatibilidade entre o bolchevismo e o estalinismo

(em português-br) “Com a eliminação de todos os outros partidos da arena política, os interesses e as tendências contraditórias das diversas camadas da população devem, em maior ou menor grau, encontrar sua expressão dentro do partido dirigente. À medida que o centro de gravidade político se deslocava da vanguarda proletária para a burocracia, o partido … Continuar a ler

A degeneração do Estado soviético

(em português-br) «(…) como passar tão bruscamente de nossos clássicos (Marx morreu em 1883 e Engels em 1895) para as tarefas da nova época, deixando de lado a luta teórica e política de tantas dezenas de anos, luta que compreende também o bolchevismo e a Revolução de Outubro? Nenhum dos que se propõem renunciar ao … Continuar a ler

Controlo pelo Estado e também pelo mercado

“(…) enquanto durar o período de transição, todas as empresas e todos os grupos de empresas deverão, em maior ou menor medida, orientar-se independentemente e testar-se por meio do mercado. É necessário que os directores técnicos de todas as fábricas de propriedade estatal estejam sujeitos ao controlo superior – pelos órgãos do Estado – e … Continuar a ler

Revolução permanente

“(…) todas as relações sociais se transformam no decurso de uma luta interior contínua. (…) Os acontecimentos que se desenrolam encerram necessariamente carácter político, dado que assumem a forma de choques entre os diferentes grupos da sociedade em transformação. As explosões da guerra civil e das guerras externas alternam-se com períodos de reformas ‘pacíficas’. As … Continuar a ler

A impunidade burocrática

“A ditadura do partido bolchevique foi, para a história, um dos mais poderosos instrumentos de progresso. Mas, como diz o poeta, Vernunft wird Unsinn, Wohltat Plage. (A razão é loucura, a felicidade tormento). A interdição dos partidos de oposição acarretou a interdição de facções; a interdição de facções conduziu à interdição de pensar de modo … Continuar a ler

A tarefa do socialismo

“Exactamente como o liberalismo era de índole nacional, assim o socialismo tem um cunho internacional. Partindo da distribuição do mercado de trabalho mundial, muito amplo, a tarefa do socialismo consiste em levar o sistema de intercâmbio de bens e serviços gerais ao seu mais apurado desenvolvimento.” Leon Trotski (1879-1940)

O processo de liquidação das classes médias

“Tomando como base sobretudo o exemplo da “Revolução Industrial” inglesa, os autores viam de maneira muito unilateral o processo de liquidação das classes médias com a proletarização completa do artesanato, do pequeno comércio e do campesinato. Na verdade, as forças elementares da concorrência ainda não finalizaram esta obra, ao mesmo tempo progressista e bárbara. O … Continuar a ler

O «ponto de partida da nova história»

“Na Rússia, a classe trabalhadora, guiada pelos bolcheviques, tentou reconstruir a vida, para eliminar a possibilidade dos acessos periódicos de loucura da humanidade e lançar as bases de uma cultura mais elevada. Este é o sentido da Revolução de Outubro. É claro que o problema posto por ela ainda não está resolvido. Mas, no fundo, … Continuar a ler

A essência do ano de 1917

“Se a questão agrária, herança da barbárie, da antiga história russa, tivesse sido resolvida pela burguesia, caso pudesse ter recebido uma solução, o proletariado russo não teria, jamais, conseguido subir ao poder em 1917. Para que o Estado Soviético fosse fundado foi necessária a aproximação e a penetração recíproca de dois factores de natureza histórica … Continuar a ler

Um sistema único de investimento e de crédito

“A fim de realizar um sistema único de investimento e de crédito, segundo um plano racional que corresponda aos interesses do povo inteiro, é necessário fundir todos os bancos numa instituição única. Somente a expropriação dos bancos privados e a concentração de todo o sistema de crédito nas mãos do Estado colocarão à disposição deste … Continuar a ler

Os aparelhos dirigentes dos sindicatos

“Enquanto organização das camadas superiores do proletariado, os sindicatos, como o testemunha toda a experiência histórica, compreendendo-se a recente experiência dos sindicatos anarco-sindicalistas da Espanha, desenvolvem poderosas tendências de conciliação com o regime democrático burguês. Nos períodos agudos das lutas de classes, os aparelhos dirigentes dos sindicatos esforçam-se para tornar-se senhores do movimento de massas … Continuar a ler

Um bolchevique não é apenas um homem disciplinado…

«Não à obediência passiva, não ao nivelamento mecânico por parte das autoridades, não ao esmagamento da personalidade, não ao servilismo e ao carreirismo. Um bolchevique não é apenas um homem disciplinado: é um homem que, em cada caso e sobre cada problema, forja sozinho a sua própria opinião, defendendo-a corajosamente e com toda a independência, … Continuar a ler

Hipóteses de trabalho…

“Em 1924, sete anos após a fulgurante confirmação do prognóstico histórico da teoria da revolução permanente, os epígonos desencadearam contra ela uma furiosa campanha, destacando dos meus velhos escritos frases truncadas e réplicas polémicas que eu mesmo já havia completamente esquecido depois de tanto tempo.  A esta altura, é bom lembrar que a primeira revolução … Continuar a ler

Economia mundial

“O marxismo procede a partir da economia mundial considerada não como a simples adição de suas unidades nacionais, mas como uma poderosa realidade independente criada pela divisão internacional do trabalho e pelo mercado mundial que em nossa época domina todos os mercados nacionais.”  Leon Trotski (1879-1940)

A revolução de 1848 não se transformou em revolução socialista…

“O erro de Marx e Engels a respeito dos prazos históricos decorria, de um lado, da subestimação das possibilidades posteriores inerentes ao capitalismo e, de outro, da sobrestimação da maturidade revolucionária do proletariado. A revolução de 1848 não se transformou em revolução socialista, como o Manifesto havia previsto, mas criou, para a Alemanha, a possibilidade … Continuar a ler

Leon Trotski, personagem do mês de Janeiro de 2011.

“Na exagerada recusa do passado pelos futuristas não se esconde um ponto de vista do operário revolucionário, mas o niilismo do boémio. Nós, marxistas, vivemos com as tradições. Nem por isso deixamos de ser revolucionários. Estudamos e guardamos vivas as tradições da Comuna de Paris, mesmo antes de nossa primeira revolução. Depois as tradições de … Continuar a ler

Mercado mundial (sete décadas atrás!…)

“O marxismo procede da economia mundial considerada não como a simples adição das suas unidades nacionais, mas como uma poderosa realidade independente criada pela divisão internacional do trabalho e pelo mercado mundial que na nossa época domina todos os mercados nacionais”. Leon Trotsky (1879-1940)         

Atenção com os detalhes

«A atenção deve incidir sobre os detalhes» (…) «Pedir que não se cuspa para o chão ou que não se lancem pontas de cigarros nas escadas ou corredores, é um “pequeno nada”, uma exigência mínima, mas que no entanto tem um significado educativo e económicos enormes. Aquele que, sem se constranger, cospe numa escada ou … Continuar a ler

Verdades eternas

“O idealismo filosófico clássico, na medida em que tendia a secularizar a moral, isto é, a emancipá-la da sanção religiosa, constituiu um imenso progresso (Hegel). Mas, exilada para o céu, a moral passou a necessitar de raízes terrenas. A descoberta dessas raízes foi uma das tarefas do materialismo. Depois de Shaftesbury, tivemos Darwin; depois de … Continuar a ler