o projecto de Kierkegaard

“Mas o projecto de Kierkegaard [1813-1855] rompeu-se e é irreparável. A dialéctica enfática de Kierkegaard não foi capaz de atingir nenhum ser solidamente fundado na subjectividade; a desesperança, em que se desmoronou a subjectividade, foi o último abismo, que se lhe abriu; uma desesperança objectiva, que transforma o projecto do ser-em-subjetividade num projecto infernal; ela … Continuar a ler

pode ser dito ao não ser dito…

. . . . . “A arte necessita da filosofia, que a interpreta, para dizer o que ela não consegue dizer, conquanto só através da arte pode ser dito ao não ser dito” . Theodor W. Adorno (1903-1969)      

lançadas pelos estúdios…

“Na era da estatística, as massas estão muito escaldadas para se identificar com o milionário na tela, mas muito embrutecidas para se desviar um milímetro sequer da lei do grande número. A ideologia esconde-se no cálculo das probabilidades. A felicidade não deve chegar para todos, mas a quem sai a sorte, ou melhor, para quem … Continuar a ler

Tabus acerca do Magistério

”(…) o professor se converte lenta, mas inexoravelmente, em vendedor de conhecimentos, despertando até compaixão por não conseguir aproveitar melhor os seus conhecimentos em beneficio da sua situação material. Não resta dúvida que há nisto um grande avanço de esclarecimento, em comparação à imagem do professor como um deus, tal como era considerado ainda nos … Continuar a ler

novo engodo

“Considerando-se, diz Theodor Adorno (1903-1969), que o iluminismo tem como finalidade libertar os homens do medo, tornando-os senhores e libertando o mundo da magia e do mito, e admitindo-se que essa finalidade pode ser atingida por meio da ciência e da tecnologia, tudo levaria a crer que o iluminismo instauraria o poder do homem sobre … Continuar a ler

dominação de mercadorias sobre homens

[À lírica arroga-se um] “protesto contra um estado social que todo indivíduo experimenta como hostil, alheio, frio, opressivo […] A idiossincrasia do espírito lírico contra a prepotência das coisas é uma forma de reacção à coisificação do mundo, à dominação de mercadorias sobre homens que se difundiu desde o começo da idade moderna e que … Continuar a ler

para obter alívio psicológico…

“O poeta Grabbe tem uma sentença: «Pois nada senão o desespero pode salvar-nos»’. Isto é provocador, mas nada tem de tolo. Não vejo como condenar que se seja desesperançado, pessimista, negativo no mundo em que vivemos. Mais limitados serão aqueles que se aferram compulsivamente ao optimismo […] da acção directa, para obter alívio psicológico.” . … Continuar a ler

Biografias e outras fábulas…

“Estorvado pela contrafacção de um sentido coerente que a indústria cultural teima em acrescentar a seus produtos e de que ela, ao mesmo tempo, abusa espertamente como um mero pretexto para a aparição dos astros. Biografias e outras fábulas …[tecem] os retalhos do absurdo de modo a constituir um enredo cretino. Não são os guizos … Continuar a ler

Filosofia da Nova Música

   Theodor Adorno      “O primeiro volume das “Obras Completas” de Theodor Adorno (1903-1969) foi publicado em 1970. Desde então, já foram publicados mais dezoito volumes e outros quatro estão prometidos para breve. Destes vinte e três livros, nada menos que onze – praticamente a metade – são dedicados exclusivamente à música. . É uma revelação surpreendente: … Continuar a ler

a frieza que tudo penetra

“Um dos grandes impulsos do cristianismo, a não ser confundido com o dogma, foi apagar a frieza que tudo penetra. Mas esta tentativa fracassou; possivelmente porque não mexeu com a ordem social que produz e reproduz a frieza.” . Theodor Adorno (1903-1969) In.:”Educação e emancipação”

Os fenómenos dos media…

  “Atribui-se a Theodor Adorno (1903-1969) o entendimento de que a prática da indústria cultural realiza um trabalho ideológico de lavagem cerebral nas massas e, assim, as mantém num estado de falsa consciência”                                                                         *** “Segundo Adorno, a crítica à indústria cultural constitui parte de uma teoria crítica da sociedade. Os fenómenos dos media não … Continuar a ler

a partir dos vestígios…

“Para reflectir a coisa tal como ela é, o sujeito deve devolver-lhe mais do que dela recebe. O sujeito recria o mundo fora dele a partir dos vestígios que o mundo deixa em seus sentidos” . “Ele [o sujeito] dota ilimitadamente o mundo exterior de tudo aquilo que está nele mesmo” . Theodor Adorno (1903-1969)

Educação para quê?

“Numa democracia, quem defende ideais contrários à emancipação, e, portanto, contrários à decisão consciente independente de cada pessoa em particular, é um anti-democrata, até mesmo se as ideias que correspondem a seus desígnios são difundidas no plano formal da democracia. As tendências de apresentação de ideais exteriores que não se originam ~ partir da própria … Continuar a ler

propósitos puramente teóricos…

(…) “Diante da questão «que fazer» eu na realidade só consigo responder, na maioria dos casos, «não sei». Só posso tentar analisar de modo intransigente aquilo que é. Nisso me censuram: já que você exerce a crítica, então é também sua obrigação dizer como se deve fazer melhor as coisas. Mas é precisamente isso que … Continuar a ler

Auto-definem-se como indústrias…

“O cinema e a rádio não necessitam já oferecer-se como arte. A verdade de que não são senão negócio serve-lhes como ideologia que deve legitimar a porcaria que produzem deliberadamente. Auto-definem-se como indústrias”. . Theodor W. Adorno (1903-1969)

uma ideologia comercial pseudo democrática…

“Na verdade, o progresso evidente, a elevação geral do nível de vida com o desenvolvimento das forças produtivas materiais, não se manifesta nas coisas espirituais com efeito benéfico. As desproporções resultantes da transformação, mais lenta da superstrutura em relação à infra-estrutura, aumentaram o retrocesso da consciência. A semiformação assenta parasitariamente no cultural lag. . Dizer … Continuar a ler

uma forma de se opor

“A filosofia não pode, por si só, recomendar medidas ou mudanças imediatas. Ela muda precisamente à medida que permanece teoria. Penso que seria o caso de perguntar se, quando alguém pensa e escreve as coisas como eu faço, se isso não é também uma forma de se opor. Não será também a teoria uma forma … Continuar a ler

uma espécie de divisão de trabalho biológica…

“A natureza, nos seus graus inferiores, está cheia de organismos não individuados. Se, com efeito, os homens, segundo tese de alguns biólogos modernos, nascem muito menos aparelhados que outros seres vivos, não podem conservar sua existência senão por meio de um trabalho social rudimentar, isto é, associados; o ‘principium individuationis’ é-lhes secundário, hipoteticamente, uma espécie … Continuar a ler

Personalidade do mês de Julho de 2006: Theodor Adorno (1903-1969)

“Desde os enaltecidos pré-socráticos, os filósofos tradicionalmente transmitidos foram críticos. Xenófanes, a cuja escola remonta o conceito de ser, que hoje é voltado contra o conceito, queria desmistificar as forças naturais. O facto de Platão hipostasiar o conceito em ideia foi percebido por Aristóteles. . Na época moderna, Descartes mostrou que a escolástica dogmatizara a … Continuar a ler

vida moderna

  “…quanto mais opaca e complicada se torna a vida moderna, tanto maior o número de pessoas tentadas a agarrar-se desesperadamente a clichés que parecem impor alguma ordem ao que, de outro modo, é incompreensível” . Theodor W. Adorno (1903-1969)