O algoritmo da linguística

“Pela nossa parte, vamos fiar-nos apenas nas premissas que viram seu valor confirmado pelo facto de a linguagem ter efectivamente conquistado, na experiência, seu status de objecto científico. Pois é por esse fato que a linguística (…) se apresenta numa posição-piloto nesse campo em torno do qual uma reclassificação das ciências assinala, como é de … Continuar a ler

A verdade sincrónica e a verdade diacrónica

“A verdade sincrónica parece ser a negação da verdade diacrónica e, vendo as coisas superficialmente, parecerá a alguém que cumpre escolher entre as duas; de facto, não é necessário, uma das verdades não exclui a outra.” Ferdinand de Saussure (1857-1913)

Transformações fonéticas da fala

“A essa separação da fonação e da língua se oporão, talvez, as transformações fonéticas, as alterações de sons que se produzem na fala, e que exercem influência tão profunda nos destinos da própria língua. Teremos, de facto, o direito de pretender que esta exista independente de tais fenómenos? Sim, pois eles não atingem mais que … Continuar a ler

Só quando a colectividade as acolhe

“A actividade de quem fala deve ser estudada num conjunto de disciplinas que somente por causa da sua relação com a língua têm lugar na Lingüística (…)  (…) Mas todas as inovações da fala não têm o mesmo êxito e, enquanto permanecem individuais, não há por que levá-las em conta, pois o que estudamos é … Continuar a ler

A linha espacial dos sinais gráficos

“Por oposição aos significantes visuais (sinais marítimos, etc.), que podem oferecer complicações simultâneas em várias dimensões, os significantes acústicos só dispõem da linha do tempo; os seus elementos apresentam-se uns após outros; formam uma cadeia. Esta característica aparece mais nítida quando os representamos na escrita: a linha espacial dos sinais gráficos substitui a sucessão no … Continuar a ler

O liame natural do som

(…) a imagem gráfica das palavras impressiona-nos como um objecto permanente e sólido, mais adequado do que o som para constituir a unidade da língua através dos tempos. Pouco importa que esse liame seja superficial e crie uma unidade puramente fictícia: é muito mais fácil de apreender que o liame natural, o único verdadeiro, o … Continuar a ler

Linguagem e língua, em Saussure

“Tomada como um todo, a linguagem é multiforme e heteróclita; participando de diversos domínios, tanto do físico, quanto do fisiológico e do psíquico, ela pertence ainda ao domínio individual e ao domínio social; ela não se deixa classificar em nenhuma categoria dos factos humanos, porque não se sabe como isolar sua unidade. A língua, ao … Continuar a ler

Para que a fala seja inteligível…

“A língua é necessária para que a fala seja inteligível e produza todos os efeitos; mas esta é necessária para o estabelecimento da língua; historicamente o facto da fala precede sempre.” Ferdinand de Saussure (1857-1913)

O tesouro interior de Saussure

“(…) os termos estabelecem entre si, em virtude de seu encadeamento, relações baseadas no carácter linear da língua, que exclui a possibilidade de pronunciar dois  elementos ao mesmo tempo. Estes se alinham um após outro na corrente da fala. Tais combinações, que se apoiam na extensão, podem ser chamadas de sintagmas(…) Por outro lado, fora … Continuar a ler

Organização da língua enquanto sistema…

“Não podemos esquecer uma faculdade de associação e de coordenação que se manifesta a partir do momento em que deixamos de lidar com signos isolados; é esta a faculdade que desempenha o papel mais importante na organização da língua enquanto sistema” Saussure (1857-1913)

Significado e significante na Línguística de Saussure

“(…) quer se considere o significado, quer o significante, a língua não comporta nem ideias nem sons preexistentes ao sistema linguístico, mas somente diferenças de conceito e diferenças de somresultantes desse sistema.” Ferdinand de Saussure (1857-1913)

O que é a língua?

“Mas o que é a língua? Para nós, ela não se confunde com a linguagem; é somente uma determinada parte, essencial, indubitavelmente. É, ao mesmo tempo, um produto social da faculdade de linguagem e um conjunto de convenções necessárias, adoptadas pelo corpo socialpara permitir aos indivíduos o exercício dessa faculdade.” Saussure (1857-1913)

A incompletude do Outro

“(…) o Outro aparece-nos situado, porque também nós estamos sempre situados: ele recorta-se sobre o fundo dos nossos conhecimentos e valores, determinando o próprio perfil com autonomia e clamando pela nossa contemplação activa-criativa, capaz de transcender limites e preconcepções. Todavia, a autonomia não o traz completo, facultando-nos o saber absoluto e objectivo do seu ser, … Continuar a ler

A parte individual da linguagem…

“O estudo da linguagem comporta, portanto, duas partes: uma, essencial, tem por objecto a língua, que é social em sua essência e independente do indivíduo; esse estudo é unicamente psíquico; outra, secundária, tem por objecto a parte individual da linguagem, vale dizer, a fala, inclusive a fonação e é psico-física” Ferdinand de Saussure (1857-1913)

"Chamá-la-emos Semiologia"…

“Pode-se, então, conceber uma ciência que estude a vida dos signos no seio da vida social; ela constituiria uma parte da Psicologia social e, por conseguinte, da Psicologia geral; chamá-la-emos Semiologia (do grego semeîon, ‘signo’). Ela ensinar-nos-á em que consistem os signos, que leis os regem. Como tal ciência aindanão existe, não se pode dizer … Continuar a ler

Personalidade do mês de Junho de 2008: Ferdinand de Saussure

“É mister uma massa falante para que exista uma língua. Em nenhum momento, e contrariamente à aparência, a língua existe fora do facto social, visto ser um fenómeno semiológico. A sua natureza social é um de seus caracteres internos” Ferdinand de Saussure (1857-1913) __________ _ _ _ ______________ Durante o mês de Junho de 2008 … Continuar a ler

Faculdade da linguagem

“A língua é o produto social da faculdade da linguagem e um conjunto de convenções necessárias, adoptadas pelo corpo social, para permitir o exercício dessa faculdade nos indivíduos. Trata-se de um tesouro depositado pela prática da fala em todos os indivíduos pertencentes à mesma comunidade, um sistema gramatical que existe virtualmente em cada cérebro ou, … Continuar a ler

um tesouro

“(…) a língua é o produto social da faculdade da linguagem e um conjunto de convenções necessárias, adoptadas pelo corpo social, para permitir o exercício dessa faculdade nos indivíduos. Trata-se de um tesouro depositado pela prática da fala em todos os indivíduos pertencentes à mesma comunidade, um sistema gramatical que existe virtualmente em cada cérebro … Continuar a ler