A transparência

“Acho que a transparência deveria substituir sempre o segredo. Chego a imaginar o dia em que dois homens não terão mais segredos um para o outro porque não se terá segredos com ninguém, porque a vida subjectiva e a vida objectiva estarão ambas totalmente à vista.” Jean-Paul Sartre (1905-1980)

A realidade humana

“Ter por ideal o ser das coisas não será confessar ao mesmo tempo que esse ser não pertence à realidade humana e o princípio de identidade, longe de ser um axioma universalmente universal, não passa de princípio sintético que desfruta de universalidade apenas regional? Assim, para que conceitos de má-fé possam iludir, ainda que por … Continuar a ler

Entre as moradas dos ancestrais

“Nós certamente aprendemos a amar as nossas velhas cidades, mas o que nos toca nelas é uma parede romana que faz parte de um albergue, ou uma casa na qual Cervantes morou, ou a praça dos Vosges, ou a Prefeitura de Rouen. Nós amamos cidades-museus – e todas as nossas cidades são um pouco como … Continuar a ler

É preciso que eu capte a minha liberdade

“Para que a minha liberdade se angustie a propósito deste livro que escrevo, é preciso que este livro apareça na sua relação comigo, quer dizer, é preciso que eu descubra, de um lado, a minha essência enquanto aquilo que eu fui (eu fui “querer escrever este livro”, eu o concebi, eu acreditei que poderia ser … Continuar a ler

Rodeado por um corpo verbal

“O falante está situado na linguagem, investido pelas palavras; são os prolongamentos dos seus sentidos, as suas pinças, as suas antenas, os seus óculos; ele manipula-as  a partir de dentro, sente-as como sente o corpo, está rodeado por um corpo verbal do qual mal tem consciência e que prolonga a sua acção sobre o mundo.” … Continuar a ler

Um ponto final nas discussões sobre «querer» e «poder»

“(…) não diremos que um prisioneiro é sempre livre para sair da prisão, o que seria absurdo, nem tampouco que é sempre livre para desejar sua libertação, o que seria um truísmo irrelevante, mas sim que é sempre livre para tentar escapar (ou fazer-se libertar) – ou seja, qualquer que seja a sua condição, ele … Continuar a ler

Na falta de me abster, eu escolhi-a…

“Assim, não há acidentes  na vida; um evento social que explode de súbito e me arrasta consigo não provém de fora; se sou mobilizado para uma guerra, esta guerra é a minha guerra, é feita à minha imagem e eu mereço-a. Eu mereço-a à partida porque poderia sempre livrar-me dela, pelo suicídio ou pela deserção: esses possíveis derradeiros … Continuar a ler

O outro não pode agir sobre o meu ser…

“(…) o surgimento ou abolição do outro não me afectaria mais em meu ser do que um Em-si pode ser afectado pela aparição ou desaparição de outro Em-si. Por conseguinte, a partir do momento que o outro não pode agir sobre o meu ser por meio do seu ser, o único modo como pode revelar-se … Continuar a ler

Tal é o princípio do existencialismo

“O homem é, não só como ele se concebe, mas como ele quer ser; e como ele se concebe diante  da existência, como ele se deseja após este impulso para a existência, o homem não é mais do que o que ele faz de si mesmo. Tal é o princípio do existencialismo. É também a … Continuar a ler

O caminho da interioridade passa pelo outro

“Longe de o problema do outro se colocar a partir do cogito, é, ao contrário, a existência do outro que torna o cogito possível, como o momento abstracto em que o eu se apreende como objecto. Assim, o “momento” que Hegel nomeia como o ser para o outro é um estádio necessário da consciência de … Continuar a ler

Simplesmente estar presente

“O essencial é a contingência. O que quero dizer é que, por definição, a existência não é a necessidade. Existir é simplesmente estar presente (…) A contingência não é uma ilusão, uma aparência que se pode dissipar; é o absoluto, por conseguinte a gratuidade perfeita. Tudo é gratuito: esse jardim, essa cidade e eu próprio.” … Continuar a ler

O tempo inteiramente nu

“Vejo o futuro. Está ali, pousado na rua, um nadinha mais pálido do que o presente. Que necessidade tem de se realizar? Que vantagem lhe trará isso? A velha se afasta coxeando, pára, ajeita uma mecha grisalha que escapou (…). Caminha, estava ali, agora está aqui… já me perdi: será que vejo seus gestos ou … Continuar a ler

Frases / Sartre

“A escolha é possível, em certo sentido, porém o que não é possível é não escolher”   Jean-Paul Sartre (1905-1980)

O momento da consciência reflexiva

“Em suma, a literatura é, por essência, a subjectividade de uma sociedade em revolução permanente. Numa tal sociedade ela superaria a antinomia entre a palavra e a ação. Decerto, em caso algum ela seria assimilável a um acto: é falso que o autor aja sobre os leitores, ele apenas faz um apelo à sua liberdade, … Continuar a ler

Personalidade do mês em Outubro de 2008: Jean-Paul Sartre

“Eu estou condenado, a existir para sempre para além da minha essência, para além dos móbiles ou moventes e dos motivos do meu acto: eu estou condenado a ser livre.” Jean-Paul Charles Aymard Sartre (Paris, 21 de Junho de 1905 — Paris, 15 de Abril de 1980) ________________________ Em Outubro de 2008 mnemosyne homenageia o … Continuar a ler

O homem de início é nada…

“O que significa aqui, dizer que a existência precede a essência? Significa que, em primeira instância, o homem existe, encontra-se a si mesmo, surge no mundo e depois se define. O homem tal como o existencialista concebe, só não é passível de uma definição porque de início é nada; só posteriormente será alguma coisa e … Continuar a ler

A existência-essência do existencialismo

“(…) não temos nem atrás de nós, nem diante de nós, no domínio luminoso dos valores, justificações ou desculpas. Estamos sós e sem desculpas. É o que traduzirei dizendo que o homem está condenado a ser livre. Condenado, porque não se criou a si próprio; e, no entanto livre, porque uma vez lançado ao mundo … Continuar a ler

"É a existência do outro que torna o cogito possível"

“O cogito (…) não poderia ser um ponto de partida para a filosofia; com efeito, só poderia nascer em consequência do meu próprio aparecimento, eu como individualidade, e este aparecimento está condicionado pelo conhecimento do outro. Em vez do problema do outro se colocar a partir do cogito, é, ao contrário, a existência do outro … Continuar a ler

Frases (Sartre)

“A desordem é o melhor servidor da ordem estabelecida.” * Jean-Paul Sartre (1905-1980)

uma aventura singular…

“Camus era uma aventura singular de nossa cultura, um movimento cujas fases e cujo termo final tratávamos de compreender. Representava neste século e contra a história, o herdeiro actual dessa longa fila de moralistas cujas obras constituem talvez o que há de mais original nas letras francesas. Seu humanismo obstinado, estreito e puro, austero e … Continuar a ler