A primeira lei da história

(em português-br) “Com efeito, quem ignora que a primeira lei da história é não ousar dizer algo falso? Em seguida, não ousar dizer algo que não seja verdadeiro? Que não haja, ao se escrever, qualquer suspeita de complacência? Nem o menor rancor?.” Cícero (106 a.C.- 43 a.C.)

Egipto por estes dias / Sem comentários ou citações

Egipto por estes dias / Sem comentários ou citações

Agosto de 2013. Personalidade do mês: Karl Jaspers.

(em português-br) “Se saíssemos da História, tombaríamos no nada. Fora de nossa existência na História, não dispomos de nenhum fio de Ariadne capaz de conduzir-nos à autenticidade. Sem História, vemo-nos privados de linguagem que nos permita indiretamente falar das origens de que brotamos e que nos sustentam. Não podemos passar para além da História, mas, … Continuar a ler

Robespierre, virtude e terror.

Frases “Nenhum homem tem o direito de acumular montes de trigo ao lado de um semelhante que morre de fome.” ______________ “Qual é o primeiro objectivo da sociedade? – Manter os direitos imprescritíveis do homem. Qual é o primeiro desses direitos? – O de existir.”   Maximilien Robespierre (1758-1794)

“Há uma busca ansiosa pelo Absoluto em Robespierre”…

(em português-br) “Há uma busca ansiosa pelo Absoluto em Robespierre: a vontade geral, a razão universal. Não gratuitamente ele dedicará todo um discurso sobre os princípios de moral que devem guiar a Convenção Nacional, em 5 de fevereiro de 1794; um outro, sobre as relações das idéias religiosas e morais com os princípios republicanos, de … Continuar a ler

“Robespierre soube interpretar a cólera, os interesses e os ressentimentos destas gentes obscuras e desprezadas”…

(em português-br) “A trajetória de Robespierre seria um enigma fora do contexto da radicalização geral da revolução francesa, das ameaças mortais que sobre ela pesavam, em virtude da coligação internacional de forças que se desencadeava contra suas propostas e perspectivas. Em especial, a sorte do personagem esteve vinculada ao processo da plebe sans-culotte insurreta de … Continuar a ler

“Cidadãos, queríeis uma revolução sem revolução?”

(em português-br) “Cidadãos, queríeis uma revolução sem revolução? Qual é esse espírito de perseguição que veio revisar, por assim dizer, aquela que rompeu nossos grilhões? Mas como submeter a um julgamento certo os efeitos que podem trazer essas grandes comoções? Quem pode marcar, depois do golpe, o ponto preciso onde devem se quebrar as vagas … Continuar a ler

Robespierre, virtude e terror.

(em português-br) “Se a força moral do governo popular na paz é a virtude, a força moral do governo popular em revolução é ao mesmo tempo virtude e terror: a virtude, sem a qual o terror é funesto; o terror, sem o qual a virtude é impotente. O terror nada mais é que a justiça … Continuar a ler

Ditadura comissária, soberana e revolucionária.

(em português-br) “Não há dúvida a respeito da continuidade existente entre a ditadura clássica, ou comissária, e a soberana, e revolucionária (embora uma ditadura soberana possa ser também anti-revolucionária): esta última modalidade apresenta, de modo muito nítido, as duas características da excepcionalidade e do caráter temporário, mesmo que seus limites temporais não sejam preestabelecidos. Aliás, … Continuar a ler

World War I: Russian Revolution

*      1  http://www.youtube.com/watch?v=GQUAW_CdBds&feature=related  2  http://www.youtube.com/watch?v=g_eHNrLKUe8&feature=related http://www.youtube.com/watch?v=Hd51pue58U0&feature=related http://www.youtube.com/watch?v=2isRAUsTJ1Q&feature=related 

A ciência da história

“A verdadeira ciência da história ainda não existe; quando muito começa-se a entrever, hoje (…) Mas suponhamo-la definitivamente feita, o que nos poderá ela dar? Ela restabelecerá o quadro fiel e reflectido do desenvolvimento natural das condições gerais, materiais e ideais, económicas, políticas e sociais, religiosas, filosóficas, estéticas e científicas das sociedades que tiveram uma … Continuar a ler

Quem tem razão, os idealistas ou os materialistas?

“Quem tem razão, os idealistas ou os materialistas? Uma vez feita a pergunta, a hesitação se torna impossível. Sem dúvida, os idealistas estão errados e os materialistas certos. Sim, os factos têm primazia sobre as ideias; sim, o ideal, como disse Proudhon, nada mais é do que uma flor, cujas condições materiais de existência constituem … Continuar a ler

Compreensão crítica da nossa história

“Nós, que não temos apenas uma herança espiritual, mas que não somos outra coisa, de princípio ao fim, senão algo que deveio histórico-espiritualmente, temos apenas uma tarefa verdadeira e própria. Não a ganhamos pela crítica de qualquer sistema presente ou transmitido do passado, de uma “visão do mundo” científica ou pré-científica (por fim, até de … Continuar a ler

"Temos tendência a achatar a história americana"…

(em português-br) “Sabemos que houve várias levas de povoamento na América. A história americana é provavelmente muito mais antiga do que se dizia até recentemente — mais antiga, em todo caso, do que se afirma ainda nos Estados Unidos —, e não se deve imaginar várias levas de povoamento com gente que chegou, instalou-se e … Continuar a ler

Chief Seattle’s Response

Chief Seattle’s Response

«European Union flag upgrade (Optimização da bandeira da União Europeia)»

«European Union flag upgrade (Optimização da bandeira da União Europeia)»

Ponte Maria Pia sobre o Douro

 .   1877 – Inauguração da Ponte Maria Pia sobre o Douro. Pela primeira vez é possível a ligação ferroviária entre Lisboa e Porto. (projecto de Seyrig da Casa Eiffel)

Cassini (viagem a Saturno)

                                                                                                                                          Cassini mural

Tempo messiânico

“O Historicismo contenta-se em estabelecer um nexo causal entre os diversos momentos da história. Mas nenhum facto, meramente por ser causa, é só por isso um facto histórico. Ele se transforma em facto histórico postumamente, graças a acontecimentos que podem estar dele separados por milénios. O historiador consciente disso renuncia a desfiar entre os dedos … Continuar a ler

«A Crise e a Reconstituição do Estado em Portugal (1974 – 1984)»

(…) Do golpe de estado à crise revolucionária  O colapso do regime em 25 de Abril de 1974 não implicou o colapso generalizado do estado. A ruptura deu-se ao nível das características fascistas do velho regime: o partido único, a polícia política, as milícias para-militares, o tribunal plenário (para julgamento dos crimes políticos), os presos políticos, … Continuar a ler