As nossas actividades biológicas

“Como não ver que o mais biológico – o nascimento, o sexo, a morte – é, ao mesmo tempo, o mais impregnado de símbolos e de cultura?  (…) As nossas actividades biológicas mais elementares, comer, beber, dormir, defecar, acasalar-se estão estreitamente ligadas a normas, interdições, valores, símbolos, mitos, ritos, prescrições, tabus, ou seja, ao que … Continuar a ler

Liberdade…

“Devemos lembrar-nos de que o indivíduo é um sujeito cuja sede egocêntrica inclui a inscrição genocêntrica (o gene) e a inscrição sociocêntrica. Tudo se passa como se o seu  computo/cogito obedecesse a três lógicos num só: o do eu, o da espécie e o da sociedade. Esse lógico triúnico é dialógico, isto é, suas instâncias antagónicas … Continuar a ler

Uma transformação do pensamento

“Não podemos produzir por decreto a reforma necessária, porque ela está inscrita no próprio curso da história; pensemos na passagemdo paradigma ptolemaico ao coperniciano. Tal reforma consiste em passar para um paradigma de religação, conjunção, implicação mútua e distinção. Ela pressupõe uma mudança no ensino, que por sua vez implica uma transformação do pensamento. É … Continuar a ler

O monopólio da verdade

“(…) Houve uma longa incubação da mensagem cristã em todo o império romano e em todas as camadas da sociedade durante dois ou três séculos, até que, com a conversão do imperador Constantino, ela se torna não somente a religião de império como também a única religião oficial. Nesse momento o cristianismo integra a romanidade, … Continuar a ler

O conhecimento do conhecimento

“Se o conhecimento é radicalmente relativo e incerto, o conhecimento do conhecimento não pode escapar a essa relatividade e a essa incerteza. Mas a dúvida e a relatividade não são somente corrosão; podem tornar-se também estímulo. A necessidade de relacionar, relativizar e historicizar o conhecimento não acarreta somente restrições e limites; impõe também exigências cognitivas … Continuar a ler

Avaria do principal motor – a política

“(…) pelo meu diagnóstico, três dos quatro motores – a ciência, a técnica, a economia – que impulsionam a nave espacial Terra estão desregulados por causa da avaria do quarto e principal motor – a política. Daí o facto de estarmos às voltas com as crises das técnicas industriais poluentes, das práticas escusas de um … Continuar a ler

A linguagem que criou o homem

“(…) é mais sensato pensar que foi a linguagem que criou o homem e não o homem a linguagem, desde que se acrescente que o hominídeo criou a linguagem.” Edgar Morin (n. 1921) Paris

A industrialização do espírito

“Uma segunda colonização, não mais horizontal, mas vertical, que penetra na grande reserva que é a alma humana. A alma é a Nova África que começa a agitar os circuitos dos cinemas. Um prodigioso sistema nervoso se constituiu no grande corpo planetário: as palavras e imagens saem aos borbotões dos teletipos, das rotativas, das películas, … Continuar a ler

façamos a interdisciplinaridade!

“…sabemos cada vez mais que as disciplinas se fecham e não se comunicam umas com as outras. Os fenómenos são cada vez mais fragmentados, e não se consegue conceber a sua unidade. É por isso que se diz cada vez mais: «façamos a interdisciplinaridade». Mas a interdisciplinaridade controla tanto as disciplinas como a ONU controla … Continuar a ler

um outro futuro…

(…) “precisamos tomar consciência dessa corrida louca para onde nos leva o devir que tem cada vez menos a feição do progresso, ou que seria a face oculta do progresso. . .  Trata-se portanto de frenar o avanço técnico sobre as culturas, a civilização, a natureza, que ameaça tanto as culturas como a civilização e … Continuar a ler

a cultura de massas

“A corrente média triunfa e nivela, mistura e homogeneíza, levando Van Gogh e Jean Nohain. Favorece as estéticas médias, as poesias médias, os talentos médios, as inteligências médias, as palermices médias. É que a cultura de massas é média na sua inspiração e no seu objectivo, porque ela é a cultura do denominador comum entre … Continuar a ler

Tempo (XXXIII)

“Enfim, não esqueçamos que o que faz a originalidade mesma da era planetária do século XX, a constituição de um espaço-tempo planetário complexo no qual todas as sociedades, arrastadas num mesmo tempo, vivem nele tempos diferentes – tempo arcaico, tempo rural, tempo industrial, tempo pós-industrial, etc. Tudo isso deve nos levar a romper com a … Continuar a ler

subdesenvolvimento mental

“A diminuição da miséria mental dos desenvolvidos permitiria rapidamente, em nossa era científica, resolver o problema da miséria material dos subdesenvolvidos. Mas é justamente desse subdesenvolvimento mental que não conseguimos sair, é dele que não temos consciência”. Edgar Morin (n. 1921), Paris, é sociólogo, antropólogo, historiador e filósofo 

uma nova e activa consciência na humanidade

Tudo que é técnico é ambivalente. Desde o início da humanidade, a técnica é usada para produzir utilidades ou para levar à morte. Hoje em dia, por exemplo, a energia atómica tanto pode ser utilizada para fins pacíficos e úteis, como para produzir mortes e guerras. . Por outro lado, a informação e a propaganda … Continuar a ler

Onde está a sabedoria que perdemos no conhecimento?

“O crescimento ininterrupto dos conhecimentos constrói uma gigantesca torre de Babel, que murmura linguagens discordantes. A torre nos domina porque não podemos dominar nossos conhecimentos. (…) O conhecimento só é conhecimento enquanto organização, relacionado com as informações e inserido no contexto destas. As informações constituem parcelas dispersas do saber. . Em toda a parte, nas … Continuar a ler

simbiose de civilizações

(…) “A política da civilização teria por missão desenvolver o melhor da civilização ocidental, rejeitar o pior dela e operar uma simbiose de civilizações integrando as contribuições fundamentais do Oriente e do Sul. Essa política de civilização seria necessária para o próprio Ocidente. Este sofre, cada vez mais, do domínio do cálculo, da técnica do … Continuar a ler

"ao mesmo tempo una e múltipla"

EDUCAÇÃO E CULTURA Edgar Morin Conferência de Abertura do Seminário Internacional de Educação e Cultura, realizado no SESC Vila Mariana, agosto/2002 – São Paulo. (em Português-BR) (…) Conclusão É evidente que o desenvolvimento da mundialização cultural é inseparável do desenvolvimento mundial das redes midiáticas, da difusão mundial dos modos de reprodução (cassetes, cds, vídeos) e … Continuar a ler

O optimismo "complexo" de Edgar Morin

EDUCAÇÃO E CULTURA Edgar Morin (n. Paris 1921) Conferência de Abertura do Seminário Internacional de Educação e Cultura, realizado no SESC Vila Mariana, agosto/2002 – São Paulo. (Excerto) . É evidente que o desenvolvimento da mundialização cultural é inseparável do desenvolvimento mundial das redes mediáticas, da difusão mundial dos modos de reprodução (cassetes, cds, vídeos) … Continuar a ler

"um único problema"

  (…) No caso da cultura, há um único problema, que é económico. Por exemplo, os seriados americanos são revendidos a preços muito baixos, porque já foram pagos na origem e chegam aqui sem nenhuma taxação. Essa produção barata impede que haja uma produção francesa e europeia, porque ela é mais cara. Deveriam adoptar medidas … Continuar a ler

sorte paradoxal

“É claro que o indivíduo humano não pode escapar de sua sorte paradoxal: é uma pequena partícula de vida, um instante efémero, uma insignificância. Mas contém em si a plenitude da realidade viva: a existência, o ser, os fazeres. Assim, ele contém a totalidade da vida e ao mesmo tempo é uma unidade elementar dessa … Continuar a ler