A sociedade civil para Ellen Wood

«‘Sociedade Civil’ constitui não somente uma relação inteiramente nova entre o ‘público’ e o ‘privado’, mas um reino privado inteiramente novo […]. Ela gera uma nova divisão do trabalho entre a esfera pública do estado e a esfera privada da propriedade capitalista e do imperativo de mercado, em que a apropriação, exploração e dominação se … Continuar a ler

Um meio de comunicação não é algo fadado a distorcer ou manipular informações

“Na sociedade contemporânea, a política depende directamente dos mass media. As agendas do sistema político e mesmo as decisões que dele emanam são feitos para os media, na busca de obter o apoio dos cidadãosou, pelo menos, atenuar a hostilidade frente às decisões tomadas. Isso não quer dizer que o poder se encontre incondicionalmente nas … Continuar a ler

As velhas estruturas do sistema representativo

(…) essa vontade [vontade popular] não se impôs à representação como um todo, qual seria de  desejar e como ocorreria com a vontade da nação, pelo seu órgão – o representante, nos melhores tempos do liberalismo. O imperativo do mandato entrou nos seus efeitos em paradoxal contradição com o sufrágio universal. A vontade una e … Continuar a ler

Democracia representativa controlada pela oligarquia

«Até o último quarto do século XVIII, pelo menos até a redefinição americana, o significado predominante de “democracia”, tanto no vocabulário de seus defensores quanto no dos detractores, era essencialmente o significado adoptado pelos gregos que inventaram a palavra: governo pelo demos, o “povo”, com o significado duplo de status cívico e categoria social. Isso … Continuar a ler

Por que se segue a pluralidade? É porque têm eles mais razão?

“Sendo a crescente acção do poder das multidõesum dos inevitáveis factores da vida moderna, cumpre saber suportá-la. Pascal já a isso se resignava. ´Por que se segue a pluralidade? É porque têm eles mais razão? Não, porém, mais força`. E pela única circunstância de ter sido a força conferida ao número, ou pelo menos àqueles … Continuar a ler

A democracia não é…

“(…) a democracia não é um facto histórico pretérito, que estejamos a procurar repetir, nem uma previsão rigorosamente científica a que possamos chegar com fatal exactidão determinística.” John Dewey (1859-1952)

Um computador por criança

Um computador por criança…

. Um computador por criança…

Frases: democracia, direitos humanos / Baudrillard

. “(…) a democracia, os direitos humanos, circulam como qualquer outro produto global, tal como o petróleo ou os capitais.” Jean Baudrillard (1929-2007)

Hannah Arendt entrevistada

 . Hannah Arendt entrevistada

A democracia pela emoção. Os telepastores…

“A transmissão ao vivo, a ocorrência e a percepção dessa ocorrência em tempo real favorecem não só a padronização das opiniões, mas também a possibilidade de as emoçõesserem simultâneas. Não foi preciso esperar por uma guerra para que tal fenómeno surgisse. Ele nasceu em experiências religiosas, com os telepastores. É algo que supera a dimensão … Continuar a ler

Devemos perceber de ciência e tecnologia…

“(…) Temos uma civilização baseada em ciência e tecnologia, e engenhosamente arranjamos as coisas de tal maneira que quase ninguém entendede ciência e tecnologia. Isto é uma receita mais eficaz para o desastre do que se pode imaginar. Embora possamos lidar com essa mistura combustível de ignorância e poder por algum tempo, mais cedo ou … Continuar a ler

Superestrutura corporativista e político-partidária / Frases

“Está a tornar-se cada vez menos possível extrair decisões da superestrutura corporativista e político-partidária” Ulrich Beck (n. 1944)

Uma vontade consciente

“A criação de novos empregos, a distribuição espacial da população transformam-se num acto consciente da sociedade organizada. Têm que ser decididas pelos órgãos da sociedade, discutidas pelos indivíduos que compõem esses órgãos, e seus efeitos devem ser investigados. Com isso, a redistribuição da população torna-se um acto consciente. A futura sociedade discute e decide se … Continuar a ler

São os povos que se fazem dominar…

“Por hora gostaria apenas de entender como pode ser que tantos homens, tantos burgos, tantas cidades, tantas nações suportam às vezes um tirano só, que tem apenas o poderio que eles lhe dão […] Como diremos que isso se chama? Que infortúnio é esse? Que vício, ou antes, que vício infeliz ver um número infinito … Continuar a ler

Todos os homens menos um…

“Se todos os homens menos um fossem de certa opinião, e um único da opinião contrária, a humanidade não teria mais direito a impor silêncio a esse um do que ele a fazer calar a humanidade” Stuart Mill (1806-1873)

A maioria

“a vontade do povo significa na prática a vontade da parte mais numerosa ou mais activa do povo – a maioria, ou aqueles que conseguem fazer-se aceitos como maioria; em consequência o povo pode desejar oprimir uma parte da sua totalidade, tornando-se necessárias precauções contra essa atitude bem como qualquer outro abuso do poder” John … Continuar a ler

"O ovo da serpente"

O ovo da serpente Crise económica / Alemanha anos 1920

meios e fins

Não indiques apenas o fim, mas mostra também o caminho porque o fim e o caminho tão unidos estão que um muda com o outro e com ele se move – e cada novo caminho revela um novo fim.     . Ferdinand Lassale (1825-1864):

Educação para quê?

“Numa democracia, quem defende ideais contrários à emancipação, e, portanto, contrários à decisão consciente independente de cada pessoa em particular, é um anti-democrata, até mesmo se as ideias que correspondem a seus desígnios são difundidas no plano formal da democracia. As tendências de apresentação de ideais exteriores que não se originam ~ partir da própria … Continuar a ler