Democracia, uma palavra vazia na máquina governamental.

“O votante comum, na medida em que compreenda que é a fonte de poder de todo o exército, marinha, polícia, serviço público etc., sente-se o seu humilde súbdito, cujo dever é, como os chineses costumavam dizer, “tremer e obedecer”. Na medida em que o controlo democrático é remoto e raro, enquanto a administração pública é … Continuar a ler

A democracia não é uma realidade psicológica

“A democracia, tanto na política como na indústria, não é uma realidade psicológica na medida em que o governo ou a gerência sejam considerados como “eles”, um grupo distante que tem seus privilégios e que é natural considerar-se com hostilidade − uma hostilidade que é impotente a menos que assuma a forma de rebelião.” Bertrand … Continuar a ler

Não pode existir nenhuma verdade ou falsidade

“Se estivéssemos certos em dizer que as coisas que são verdadeiras e falsas são sempre juízos, então seria evidente que não pode existir nenhuma verdade ou falsidade a menos que existam mentes para julgar.”  Bertrand Russell (1872-1970)

O conhecimento do que pode ser

“(…) enquanto o nosso conhecimento do que é se tem tornado menor do que inicialmente se imaginou, o nosso conhecimento do que pode ser aumentou muito. Ao invés de nos acharmos encerrados dentro de estreitos muros, dos quais poderiam ser explorados todos os recantos e todas as fissuras, achamos-nos num mundo aberto, de livres possibilidades, … Continuar a ler

Não conseguir ver em que esteja errada…

“Como alguém que tem uma longa experiência das dificuldades da lógica e de decepções a respeito de teorias que parecem irrefutáveis, acho-me incapaz de ter certezas sobre a correcção de uma destas com base apenas no facto de não conseguir ver qualquer aspecto em que esteja errada. Mas ter construído uma teoria da lógica que … Continuar a ler

Fragmentos infinitesimais

“A mente que se acostumou à liberdade e imparcialidade da contemplação filosófica irá preservar qualquer coisa dessa liberdade e imparcialidade no mundo da acção e da emoção. Irá ver os seus propósitos e objectivos como partes do todo, com a ausência de obstinação que resulta de os ver como fragmentos infinitesimais num mundo no qual … Continuar a ler

A educação – frases / Bertrand Russel

  “Os homens nascem ignorantes, não estúpidos; é a educação que os torna estúpidos.” Bertrand Russell (1872-1970)

O Decálogo Liberal de Bertrand Russell

Decálogo Liberal: 1. Não te sentirás absolutamente certo de coisa alguma. 2. Não pensarás ser vantajoso progredir escondendo as provas, pois estas virão à luz inapelavelmente. 3. Não temerás o raciocínio, pois com ele vencerás. 4. Quando encontrares oposição, mesmo que seja a de teu marido ou de teus filhos, esforçar-te-ás por superá-la pela força … Continuar a ler

O portão da sabedoria

“Num certo sentido – mais fácil de sentir do que de exprimir – o tempo é uma característica não importante e superficial da realidade. O passado e o futuro têm de ser reconhecidos como tão reais como o presente e uma certa emancipação da escravatura do tempoé essencial para o pensamento filosófico.” (…) “É um … Continuar a ler

"Viagens nas regiões da dúvida libertadora"

“O valor da filosofia, na realidade, deve ser buscado, em grande medida, na sua própria incerteza. O homem que não tem a menor noção da filosofia caminha pela vida afora preso a preconceitos derivados do senso comum, das crenças habituais da sua época e do seu país, e das convicções que cresceram na sua mente … Continuar a ler

Um mundo aberto

“(…) enquanto o nosso conhecimento do que é se tem tornado menor do que inicialmente se imaginou, o nosso conhecimento do que pode ser aumentou muito. Ao invés de nos acharmos encerrados dentro de estreitos muros, dos quais poderiam ser explorados todos os recantos e todas as fissuras, achamos-nos num mundo aberto, de livres possibilidades, … Continuar a ler

Certeza absoluta

“Se os nossos sonhos, noite após noite, fossem tão coerentes entre si como os nossos dias, dificilmente saberíamos se devíamos acreditar nos sonhos ou na vida em estado de vigília. Deste modo, o teste da coerência condena os sonhos e confirma a vida em estado de vigília. Mas este teste, embora aumente a probabilidade quando … Continuar a ler

A mente não cria a verdade nem a falsidade

“(…) a mente não cria a verdade nem a falsidade. Ela cria as crenças, mas uma vez criadas, a mente não as pode tornar verdadeiras ou falsas, excepto no caso especial em que dizem respeito a coisas futuras que estão no poder da pessoa acreditar, como apanhar o comboio. O que torna uma crença verdadeira é … Continuar a ler

Juízos intuitivos da memória

“(…) a essência da memória não é constituída pela imagem, mas pelo facto de estar imediatamente presente à mente um objecto que reconhecemos como passado. Se não houvesse a memória neste sentido, jamais saberíamos que existiu um passado, nem seríamos capazes de entender a palavra “passado” melhor que um homem cego de nascença pode entender … Continuar a ler

Toda a matemática pura é a priori, como a lógica

“Toda a matemática pura é a priori, como a lógica. Isso foi energicamente negado pelos filósofos empíricos que mantiveram que a experiência é a fonte de nosso conhecimento da aritmética assim como de nosso conhecimento da geografia. Eles mantiveram que por meio da experiência repetida de ver duas coisas, e logo mais duas outras coisas, … Continuar a ler

A vida toda é um sonho…

“A hipótese de que a vida toda é um sonho, no qual nós mesmos criamos todos os objectos tal como aparecem diante de nós, não é logicamente impossível. Mas embora esta hipótese não seja logicamente impossível, não há razão alguma para supormos que seja verdadeira; e, de facto, considerada como um meio de explicar os … Continuar a ler

Personalidade do mês de Setembro de 2008: Bertrand Russell

“Nunca fui pacifista total nem outra coisa qualquer total. Entendo que um acto deve ser julgado bom ou mau pelas consequências que produz; o acto bom é o que entre todos os actos possíveis dá maior saldo entre as boas e as más consequências. As normas gerais, tais como ‘Não roubar’ e ´Não matar’ são … Continuar a ler

A indução

“A indução propõe talvez o mais difícil problema em toda a teoria do conhecimento. Toda a lei científica é estabelecida por seu intermédio, e no entanto é difícil ver porque a julgaríamos um processo lógico válido. A indução, em seu fundamento, consiste do seguinte argumento: já que A e B têm sido encontrados juntos muitas … Continuar a ler

Futuros passados

“Já se alegou que temos motivos para crer que o futuro se assemelhará ao passado, porque o que era futuro se transformou em passado, e sempre se achou que se assemelhava ao passado: de maneira que temos, no fim de contas, uma real experiência do futuro, isto é, de tempos que outrora foram futuros passados.”  … Continuar a ler

errado

“Eu nunca morreria por aquilo em que acredito porque  pode acontecer que eu esteja estar errado.” * Bertrand Russell (1872 – 1970) escritor, matemático, e filósofo * Faz hoje – 18 de Maio de 2006 – 134 anos que nasceu Bertrand Russell. Foi prémio Nobel da literatura em 1950.