O pensamento racional

 “(…) o pensamento racional se estabelecerá num tempo de total não-vida, recusando o vital. Que a vida, por seu lado, se desenvolva e traga as suas necessidades, é, sem dúvida, uma fatalidade corporal. Mas isso não suprime a possibilidade de se retirar do tempo vivido, para encadear pensamentos numa ordem de uma nova temporalidade.” Gaston … Continuar a ler

O homem inteiro

“É o homem inteiro, com a sua pesada carga de ancestralidade e de inconsciência, com toda a sua juventude confusa e contingente, que teria de ser levado em conta se quiséssemos medir os obstáculos que se colocam ao conhecimento objectivo.” Gaston Bachelard (1884-1962)

"A casa perdida na noite dos tempos"…

   “Se mantivermos o sonho na memória, se ultrapassarmos a colecção de lembranças precisas, a casa perdida na noite dos tempos sai da sombra, parcela a parcela.” Gaston Bachelard (1884-1962)

"Descer ao mínimo do ser imaginante"

“Extrema solidão em que a matéria se dissolve, se perde. Dúvida que perde sua forma em face de uma matéria duvidosa. Se quiséssemos substituir o método da dúvida – método excessivamente virtual, pouco apto a libertar-nos da representação – por um método de apagamento – método mais efectivo, pois que tem para si o próprio … Continuar a ler

A imaginação

“Pretende-se sempre que a imaginação seja a faculdade de formar imagens. Ora, ela é antes a faculdade de deformar as imagens fornecidas pela percepção, é sobretudo a faculdade de nos libertar das imagens primeiras, de mudar as imagens. Se não há mudança de imagem, união inesperada das imagens, não há ação imaginante. Se uma imagem … Continuar a ler

"A ciência necessita de uma filosofia de dois pólos"

“Um empirismo sem leis claras, coordenadas, dedutivas, não pode ser nem pensado nem ensinado; um racionalismo, sem provas palpáveis, sem aplicação à realidade imediata, não pode convencer plenamente. Prova-se o valor de uma lei empírica fazendo dela a base de um raciocínio. Legitima-se um raciocínio, fazendo dele a base de uma experiência. A ciência, soma … Continuar a ler

A evolução do pensamento

“ (…) as crises de crescimento do pensamento implicam uma reorganização total do sistema do saber. A cabeça bem feita precisa então de ser refeita. Ela muda de espécie. Opõe-se à espécie anterior por uma função decisiva. Pelas revoluções espirituais que a invenção científica exige, o homem torna-se uma espécie mutante, ou melhor dizendo, uma … Continuar a ler

Para melhor questionar

“Em todas as ciências rigorosas, um pensamento inquieto desconfia das identidades mais ou menos aparentes e exige sem cessar mais precisão e mais ocasiões de distinguir.  Em resumo, o homem movido pelo espírito científico deseja saber, mas, para, imediatamente, melhor questionar.” Gaston Bachelard (1884-1962)

A objectividade científica

“A objectividade científica só é possível depois de termos rompido com o objecto imediato, de termos recusado a sedução da primeira escolha, de termos parado e contradito os pensamentos que nascem da primeira observação. Toda a objectividade, devidamente verificada, desmente o primeiro contacto com o objecto. Tem de começar por criticar tudo: a sensação, o … Continuar a ler

Tempo LXIX

“…o tempo é uma realidade fechada sobre o instante e interrompida entre dois nadas. O tempo poderá renascer, mas primeiro é necessário que morra. Ele não poderá transportar o seu ser de um instante para outro instante para disso fazer uma duração.” Gaston Bachelard (1884-1962) In.: “A intuição do instante”

"A nossa linguagem é materialista"

“(…) o enigma metafísico mais obscuro reside na intersecção das propriedades espaciais e das propriedades temporais. Este enigma é difícil de enunciar, precisamente porque a nossa linguagem é materialista, porque se crê poder, por exemplo, enraizar a natureza de uma substância numa matéria plácida, indiferente à duração.” Gaston Bachelard (1884-1962) In.: “O novo espírito científico”

Escola permanente

“Na obra da ciência só se pode amar o que se destrói, pode-se continuar o passado negando-o, pode-se venerar o mestre contradizendo-o. Aí, sim, a Escola prossegue ao longo da vida. Uma cultura presa ao momento escolar é a negação da cultura científica. Só há ciência se a Escola for permanente. É essa escola que … Continuar a ler

Uma nova pedagogia

“Devemos aproveitar todos os ensinamentos da ciência, por muito especiais que sejam, para determinar as novas estruturas espirituais. Devemos compreender que a aquisição de uma forma de conhecimento se traduz automaticamente numa reforma do espírito. É, pois, necessário dirigir nossas investigações no sentido de uma nova pedagogia.” Gaston Bachelard (1884-1962)

"Uma experiência que contradiz a experiência comum"

“Já foi dito muitas vezes que uma hipótese científica que não esbarra em nenhuma contradição tem tudo para ser uma hipótese inútil. Do mesmo modo, a experiência que não rectifica nenhum erro, que é monotonamente verdadeira, sem discussão, para que serve? A experiência científica é, portanto, uma experiência que contradiz a experiência comum.” Gaston Bachelard. … Continuar a ler

Personalidade do mês de Abril de 2008: Gaston Bachelard

“As palavras (…) são casinhas com porão e sótão. O sentido comum reside no rés-do-chão, sempre pronto para o “comércio exterior”, no mesmo nível de outrem, desse transeunte que nunca é um sonhador. Subir a escada na casa da palavra é, de degrau em degrau, abstrair. Descer ao porão é sonhar, é perder-se nos distantes … Continuar a ler

O azul do céu

“os laços substantivos foram afrouxados e (…) não há mais do que os laços da linguagem que nos ligam ao realismo imediato. A imensa abóbada do céu parece-nos azulada, mas todo esse azul já não é para nós uma verdadeira propriedade substancial. O azul do céu tem tão pouca existência quanto a abóbada do céu.” … Continuar a ler

Memória (XII)

“Para se ligar ao passado, é preciso amar a memória. Para se desligar do passado, é preciso imaginar muito. E são essas obrigações contrárias que colocam em plena vida a linguagem.” . Bachelard, Gaston (1884-1962)

um bosquejo copiado

“Não se deverá falar mais de leis simples que seriam perturbadas, mas de leis complexas e orgânicas às vezes tocadas de certas viscosidades, de certos apagamentos. A antiga lei simples torna-se um simples exemplo, uma verdade mutilada, uma imagem esboçada, um bosquejo copiado sobre um quadro.”   . Bachelard, Gaston (1884-1962) In.: “O novo espírito científico”

um longo erro…

“Com efeito, a história humana bem pode, em suas paixões, em seus preconceitos, em tudo que releva dos impulsos imediatos, ser um eterno recomeço; mas há pensamentos que não recomeçam; são os pensamentos que foram rectificados, alargados, completados. Eles não voltam a sua área restrita ou cambaleante. Ora, o espírito científico é essencialmente uma rectificação … Continuar a ler