de ora em diante abandonado às inteligências mal cultivadas

“Importa, contudo, reconhecer, em princípio, que, sob o regime positivo, a harmonia de nossas concepções se acha necessariamente limitada, até certo ponto, pela obrigação fundamental de sua realidade, isto é, de uma suficiente conformidade com tipos independentes de nós. Em seu cego instinto de ligação, nossa inteligência aspira a poder quase sempre ligar entre si … Continuar a ler

equilíbrio e a progressão

“Não se pode à primeira vista, desconhecer a aptidão espontânea de semelhante filosofia para estabelecer, de modo directo, a conciliação fundamental, ainda tão vãmente procurada, entre as exigências simultâneas da ordem e do progresso, pois lhe basta, para tal, estender até os fenómenos sociais uma tendência plenamente conforme à sua natureza, e que ela tornou … Continuar a ler

Física Social

“Em todos os fenómenos sociais percebemos a actuação das leis fisiológicas do indivíduo e, além disso, algo que modifica seus efeitos e que pertence à influência mútua dos indivíduos, singularmente complicada no caso da espécie humana pela influência de gerações sobre seus sucessores. Assim, é claro que a nossa Ciência Social deve emanar da que … Continuar a ler

O relógio nas ciências sociais

A noção do universo como relógio deu origem à ideia ao determinismo científico, expresso publicamente pela primeira vez pelo cientista francês Pierre-Simon Laplace (1749-1827). Acreditava-se que a natureza seguia regras fixas que podiam ser descobertas com o uso da razão, como no caso de um relógio. O modelo do relógio nas ciências sociais teve como … Continuar a ler

homenagem

In:”algures na Rede” homenagem a Auguste Comte

uma oposição universal

Esta tendência diária e activa ao melhoramento prático da condição humana é necessariamente pouco compatível com as preocupações religiosas, sempre relativas, sobretudo no monoteísmo, a um destino muito diferente; mas, além disso, semelhante actividade é de natureza a suscitar finalmente uma oposição universal, tão profunda como espontânea, a toda filosofia teológica.   Por um lado, … Continuar a ler

a sociologia como ciência

A sociologia é baseada na ideia de que os seres humanos não agem de acordo a suas próprias decisões individuais, senão sob a influência cultural e histórica e segundo os desejos e expectativas da comunidade na qual estão inseridos. O conceito de sociedade civil aparece pela primeira vez no século XVII na obra de Thomas … Continuar a ler

tudo é relativo, e isso é a única coisa absoluta

De acordo com Auguste Comte (1798-1857) a doutrina positivista pode ser sintetizada em quatro aspectos: 1.  Psicológico – Comte denominava a psicologia como “moral teórica”, tomando a teoria de Gall e Bichat, e as explicações de Broussais, entendia a alma como um conjunto de funções cerebrais; 2.  Ontológico – Comte negava as causas eficientes e … Continuar a ler

A palavra positivo

A palavra  positivo possui cinco acepções, segundo Auguste Comte (1798-1857): –  real em oposição a quimérico: o espírito humano deve investigar sobre o que é possível conhecer; –  útil em oposição a ocioso: deve-se estudar e conhecer tudo o que seja destinado ao        aperfeiçoamento individual ou colectivo; –  certeza em oposição a indecisão; –  precisão em oposição ao vago/indefinido … Continuar a ler

o homem propriamente dito não existe

“O espírito positivo, ao contrário, é directamente social, tanto quanto possível e sem nenhum esforço, em virtude mesmo da sua realidade característica. Para ele o homem propriamente dito não existe, só pode existir a Humanidade, pois todo nosso desenvolvimento é devido à sociedade, sob qualquer aspecto que o encaremos. Se a ideia de sociedade parece … Continuar a ler

Estática Social e Dinâmica Social

     “Em [Auguste] Comte [1798-1857], discípulo e secretário de Saint-Simon, vemos convergir as Filosofias Sociais, os inquéritos e as estatísticas sociais e as influências das Ciências Naturais. Da Física Social e da Fisiologia Social emerge o conceito de Sociologia, cujo projecto é o estudo positivo do conjunto de leis que regem o funcionamento da … Continuar a ler

sucessão e de similitude

“O carácter fundamental da filosofia positiva é tomar todos os fenómenos como sujeitos a leis naturais invariáveis, cuja descoberta precisa e cuja redução ao menor número possível constituem o objectivo de todos os nossos esforços (…) Cada um sabe que, em nossas explicações positivas, até mesmo as mais perfeitas, não temos de modo algum a … Continuar a ler

princípio único

“…está longe do meu pensamento querer proceder ao estudo geral dos fenómenos considerando-os todos como efeitos diversos de um princípio único, como sujeitos a uma mesma lei” (…) “Considero essas tentativas de explicação universal de todos os fenómenos por uma lei única como eminentemente quiméricas” Auguste Comte (1798-1857) 

o conhecimento do futuro pelo passado

«Toda a ciência tem por fim a previdência. Porque a aplicação geral das leis estabelecidas segundo a observação dos fenómenos tem por fim prever a respectiva sucessão. Na realidade, todos os homens, por pouco instruídos que os julguemos, fazem verdadeiras previsões, fundadas sempre sobre o mesmo princípio, o conhecimento do futuro pelo passado. (…) Está, … Continuar a ler

positivismo

  Auguste Comte (1798-1857)  traduz a expressão positivismo como  “o real frente ao quimérico, o útil frente ao inútil, o certo frente ao incerto, o preciso frente ao vago, o relativo frente ao absoluto”, . Reduz […] toda a “causalidade a meras relações de simultaneidade e sucessão” . Insere a psicologia na biologia, reputa a … Continuar a ler

Auguste Comte: personalidade do mês de Agosto de 2006.

“Conforme o sentimento, cada vez mais desenvolvido, de igual insuficiência social que hoje oferecem o espírito teológico e o espírito metafísico, os únicos até agora a disputar activamente um lugar ao sol, a razão pública deve encontrar-se implicitamente disposta a acolher o espírito positivo como a única base possível para uma verdadeira resolução da anarquia … Continuar a ler