Empatia

“Mas se não tens nenhuma solidariedade para com o meu infortúnio, ou nenhuma que seja proporcional à dor que me assola; ou se não sentes nenhuma indignação pelas ofensas que sofri, ou nada que seja proporcional com o ressentimento que me arrebata, já não poderemos conversar sobre esses temas. Tornamo-nos insuportáveis um ao outro. Não … Continuar a ler

A circunstancialidade de Adam Smith…

“Quando os usos e costumes coincidem com os princípios naturais do certo e do errado, aumentam a delicadeza dos nossos sentimentos, e intensificam o nosso horror a tudo o que se aproxime do mal. Os que realmente foram educados em boa companhia, e não no que habitualmente se chama assim, que foram acostumados a observar … Continuar a ler

O reducionismo da visão smithiana na economia contemporânea

“O apoio que os crentes e defensores do comportamento baseado no interesse pessoal procuraram em Adam Smith é na verdade difícil de encontrar quando se faz uma leitura mais ampla e menos tendenciosa da obra smithiana. (…) De facto, é precisamente o reducionismo, na economia moderna, da ampla visão smithiana dos seres humanos que pode … Continuar a ler

O liberalismo económico de Adam Smith

“O Homem de Estado que se propusesse dirigir o modo como as entidades privadas hão-de empregar os seus capitais, não só se sobrecarregaria com uma tarefa extremamente inútil, como assumiria uma autoridade que nenhum organismo parlamentar ou colegial poderia aceitar e que em algumas condições seria tão perigosa como entregue a um homem que tivesse … Continuar a ler

Palestra sobre Adam Smith (lecture in english language)

  Adam Smith (1723-1790) Lecture Filmed as part of a second year course in social anthropology at Cambridge University in November 2001                                                                                                                         

«Apelamos, não para a sua humanidade, mas para o egoísmo…»

“Numa sociedade civilizada o homem necessita constantemente da ajuda e cooperação de uma imensidade de pessoas, e a sua vida mal chega para lhe permitir conquistar a amizade de um pequeno número. Em quase todas as outras espécies animais, cada indivíduo, ao atingir a maturidade, é inteiramente independente, e, no seu estado normal, não necessita … Continuar a ler

«guiado por uma mão invisível»

“Cada um trabalha, necessariamente, para que o rédito da sociedade seja o maior possível. Na realidade, ele não pretende, normalmente, promover o bem público, nem sabe até que ponto o está a fazer. (…) Ao dirigir essa indústria, de modo que a sua produção adquira o máximo valor, só está a pensar no seu próprio … Continuar a ler

«O valor que os trabalhadores acrescentam às matérias-primas…»

“(…) Logo que começa a existir riqueza acumulada nas mãos de determinadas pessoas, algumas delas utilizá-la-ão naturalmente para assalariar indivíduos industriosos a quem fornecerão matérias-primas e a subsistência, a fim de obterem um lucro com a venda do seu trabalho, ou com aquilo que esse trabalho acrescenta ao valor das matérias-primas. Ao trocar-se o produto … Continuar a ler

Só o trabalho é o genuíno padrão de todos os bens – Adam Smith

“Em todos os tempos e lugares é caro aquilo que é difícil de conseguir, aquilo cuja aquisição exige muito trabalho; e é barato aquilo que se obtém facilmente ou com muito pouco trabalho. Portanto, só o trabalho, cujo valor nunca varia, é o genuíno e verdadeiro padrão em termos do qual o valor de todos … Continuar a ler

Violação do jogo limpo

“Na corrida por riqueza, fama e honrarias, ele [o indivíduo] pode correr tão esforçadamente quanto for capaz, e empregar ao máximo cada nervo e músculo para ultrapassar todos os seus competidores. Mas se ele porventura atropela ou derruba qualquer um deles, a complacência dos espectadores termina por completo. Trata-se de uma violação do jogo limpo … Continuar a ler

A intrínseca sociedade

“Se fosse possível que uma criatura humana vivesse num qualquer lugar solitário até alcançar a idade madura sem nenhuma comunicação com a sua espécie, não poderia pensar no seu próprio carácter, na conveniência ou demérito dos seus próprios sentimentos e conduta, na beleza e deformidade de seu próprio espírito, mais do que na beleza ou … Continuar a ler

A divisão do trabalho

“O grande aumento da quantidade de trabalho que, em consequência da divisão do trabalho, o mesmo número de pessoas é capaz de executar deve-se a três circunstâncias: primeira, o aumento de destreza de cada um dos trabalhadores; segunda, a possibilidade de poupar o tempo que habitualmente se perdia ao passar de uma tarefa a outra; … Continuar a ler

Os fundadores do liberalismo clássico

“(…) [Adam Smith] realmente estabeleceu um argumento a favor dos mercados, mas o argumento era que sob condições de liberdade perfeita, os mercados levarão à igualdade perfeita (…) ele imaginava que a igualdade de condições (não apenas de oportunidades) era o que se devia buscar (… ) Os fundadores do liberalismo clássico, pessoas como Adam … Continuar a ler

Quantidade de trabalho

“(…) o trabalho foi o primeiro preço, a moeda original, com que se pagaram todas as coisas. Não foi com ouro ou com prata, mas com trabalho, que toda a riqueza do mundo foi originariamente adquirida; e o seu valor, para aqueles que a possuem e desejam trocá-la por novos produtos, é exactamente igual à … Continuar a ler

Sentimento de aprovação

“(…) há dois aspectos a considerar no sentimento de aprovação: primeiro, a paixão solidária do espectador; segundo, a emoção suscitada ao observar a perfeita reciprocidade entre esta paixão solidária nele mesmo e a paixão original na pessoa directamente afectada. Esta segunda emoção, em que se baseia propriamente o sentimento de aprovação, é sempre aprazível e … Continuar a ler

Capital em competição

“(…) cada homem, desde que não viole as leis da justiça, é perfeitamente livre para perseguir o seu próprio interesse à sua maneira, e colocar a sua entrega e o seu capital em competição com os de qualquer outro homem”. Adam Smith (1723-1790) 

Valor de troca

“Deve observar-se que a palavra ´valor` tem dois significados diferentes; umas vezes exprime a utilidade de um determinado objecto, outras o poder de compra de outros objectos que a posse desse representa. O primeiro pode designar-se por ‘valor de uso’; o segundo por ‘valor de troca’. As coisas que têm o maior valor de uso … Continuar a ler

Por mais egoísta

 (…) “por mais egoísta que se possa admitir que o homem seja, existem evidentemente alguns princípios na sua natureza que o fazem interessar-se pela sorte dos outros e torna a sua felicidade necessária para ele mesmo, apesar de não aproveitar nada com isso, a não ser o prazer de a admirar.” Adam Smith (1723-1790)