Uma vida livre / Epicuro

(em português-br) ““Uma vida livre (eleútheros bíos) não pode adquirir grandes riquezas, porque isso não é fácil sem se fazer servidor (theteías) das assembléias populares ou de monarcas…” Epicuro (341 BC – 270 BC) Anúncios

As causas de toda a escolha e de toda a rejeição

(em português-br) ““Não são, pois, [os prazeres das] bebidas nem banquetes contínuos, nem a posse de mulheres e rapazes, nem o sabor dos peixes ou das outras iguarias de uma mesa farta que tornam prazerosa uma vida, mas um exame cuidadoso que investigue as causas de toda escolha e de toda rejeição e que remova as opiniões falsas em … Continuar a ler

Sobre a felicidade

(em português-br) “Consideremos também que, dentre os desejos, há os que são naturais e os que são inúteis; dentre os naturais, há uns que são necessários e outros, apenas naturais; dentre os necessários, há alguns que são fundamentais para a felicidade, outros, para o bem-estar corporal, outros, ainda, para a própria vida. E o conhecimento … Continuar a ler

O movimento dos átomos não teve começo… / Epicuro

(em português-br) “Entre os corpos, uns são compostos, outros são os elementos que servem para fazer os compostos. Estes últimos são os átomos indivisíveis e imutáveis, já que nada pode converter-se em nada e é necessário que subsistam realidades quando os compostos se desagregam. Estes corpos estão completos por natureza e não têm neles lugar … Continuar a ler

Personalidade do mês de Novembro de 2013: Epicuro (341 BC – 270 BC)

(em português-br) “(…) Na tua opinião será que pode existir alguém mais feliz que o sábio, que tem um juízo reverente acerca dos deuses, que se comporta de maneira absolutamente indiferente perante a morte, que bem compreende a finalidade da natureza, que discerne que o bem supremo está nas coisas simples e fáceis de obter, … Continuar a ler

Que homens haverá melhores do que Cipião, Lélio e Filão?

(em português-br) “(…) I. CIPIÃO: — A princípio, o homem emitia unicamente sons inarticulados e confusos. Depois sua inteligência lhe fez distinguir e separar em partes esses sons; deu, depois, a cada coisa um nome que a distinguisse das outras; e os homens, separados antes, encontraram-se unidos com esse vínculo de simpatia. A própria inteligência, as … Continuar a ler

Nada seria tão semelhante a si mesmo como cada um dos homens a todos os demais

(em português-br) “De tudo aquilo sobre que versam as discussões dos filósofos, nada tem mais valor que a plena inteligência de que nascemos para a justiça e de que o direito não se baseia na opinião, senão na natureza. Isto é evidente se se considera a sociedade e a união dos homens entre si. Pois … Continuar a ler

Discurso de Cícero contra Catilina. Catilinárias.

(em português-br) “Até quando, ó Catilina, abusarás da nossa paciência? Por quanto tempo ainda há-de zombar de nós essa tua loucura? A que extremos se há-de precipitar a tua audácia sem freio? Nem a guarda do Palatino, nem a ronda nocturna da cidade, nem os temores do povo, nem a afluência de todos os homens … Continuar a ler

A força da cura

(em português-br) “Com máxima atenção devemos perceber o seguinte: o tempo tem o poder de aplacar o sofrimento, mas a força da cura não está no passar do tempo e sim na meditação cotidiana [cogitatione diuturna]. Com efeito, se a coisa permanece a mesma e o homem permanece o mesmo, como pode se modificar algo … Continuar a ler

Sobre a amizade

(em português-br) “Eis aqui os limites nos quais creio poder encerrar a amizade. Que os costumes dos amigos sejam sempre puros, que uma inteira comunhão de bens, de pensamentos, de vontade, exista entre eles. E mesmo se,por infelicidade, um deles necessita de auxílio do outro, em alguma empresa de justiça duvidosa, mas de onde dependa … Continuar a ler

A primeira lei da história

(em português-br) “Com efeito, quem ignora que a primeira lei da história é não ousar dizer algo falso? Em seguida, não ousar dizer algo que não seja verdadeiro? Que não haja, ao se escrever, qualquer suspeita de complacência? Nem o menor rancor?.” Cícero (106 a.C.- 43 a.C.)

A única coisa que devemos desejar

(em português-br) “Que filosofia é esta, que não busca acabar com a maldade, contentando-se com a mediania dos vícios? […] E não vê o severo e grave filósofo que tais bens, os únicos que ele reconhece, não são em verdade apetecíveis, porque, segundo a sua própria opinião, a única coisa que devemos desejar é carecer de dor. Estas … Continuar a ler

Personalidade do mês de Outubro de 2013: Cícero (106 a.C.- 43 a.C.)

(em português-br) “Assim, após longas reflexões, análises me levaram a concluir que a sabedoria sem eloqüência é pouco útil para os Estados, mas que a eloqüência sem sabedoria é quase prejudicial e nunca é útil.”   Marco Túlio Cícero, em latim Marcus Tullius Cicero (Arpino, 3 de Janeiro de 106 a.C. — Formia, 7 de Dezembro de 43 a.C.), In: A Invenção Retórica, I. 01

Pretensões à universalidade

(em português-br) ““Para Descartes e para Kant, a universalidade significava racionalidade, mas seu critério era, para um, a evidência das intuições, para o outro, a necessidade das proposições. Nós rejeitamos esses dois critérios e, aliás, não acreditamos que uma posição filosófica possa jamais realizar efetivamente a unanimidade das mentes, nem no presente, nem, a fortiori, … Continuar a ler

A ilusão do homem ocidental

(em português-br) Uma filosofia é algo que não existe sempre em toda comunidade. Muitas comunidades estão satisfeitas com a religião, as crenças comuns, as obrigações comuns que são compartilhadas numa dada comunidade particular. O ideal da filosofia é o de transcender crenças religiosas, de transcender comunidades particulares…; isto significa ir além da comunidade particular. Este é o ideal … Continuar a ler

O pensamento filosófico segundo Chaïm Perelman.

(em português-br) “Toda filosofia é apenas, como afirma Derrida, seguindo Nietzsche, a utilização enganosa de uma verdade absoluta e abstrata, enquanto se situa de fato no prolongamento de um mito? Ela é, ao contrário, escolha e desenvolvimento de uma metáfora viva, como pretende P. Ricoeur? Pouco importa. O que é certo é que o pensamento filosófico, não podendo ser … Continuar a ler

O auditório universal conforme Chaïm Perelman

(em português-br) “… ocorre necessariamente que o auditório universal ao qual se presume que nos dirigimos coincide, de fato, com um auditório particular que conhecemos e que transcende as poucas oposições das quais temos atualmente consciência. De fato, nós nos fabricamos um modelo de homem – encarnação da razão, da ciência particular que nos preocupa … Continuar a ler

A adesão do auditório universal

(em português-br) “Na minha opinião, o discurso filosófico é inspirado, no campo da argumentação, pelo imperativo categórico de Kant: o filósofo deve argumentar de maneira que seu discurso possa obter a adesão do auditório universal.” Chaïm Perelman (1912-1984) 

“Subordinando a lógica filosófica à nova retórica”

(em português-br) Subordinando a lógica filosófica à nova retórica, participo do debate secular que opôs a filosofia à retórica, e isso desde o grande poema de Parmênides. Este, e a grande tradição da metafísica ocidental, ilustrada pelos nomes de Platão, Descartes e Kant, sempre opuseram a busca da verdade, objeto proclamado da filosofia, às técnicas dos retores e dos sofistas, … Continuar a ler

“Adesão a uma verdade objetivamente e universalmente válida”

(em português-br) “Apenas a existência de uma argumentação, que não seja nem coerciva nem arbitrária, dá sentido à liberdade humana, condição de exercício de uma escolha razoável. Se a liberdade fosse apenas adesão necessária a uma ordem natural previamente dada, ela excluiria toda possibilidade de escolha. Se o exercício da liberdade não fosse fundado sobre razões, toda escolha seria … Continuar a ler