Interconexão global

(em português-br) “(…) mais e mais pessoas entrarão no mercado de troca de informações. Perderão suas identidades privadas, mas ganharão a capacidade de interconectar-se com qualquer pessoa sobre a face da Terra. Os referendos eletrônicos espontâneos varrerão o mundo. O conceito de nacionalismo desaparecerá e cairão os governos regionais quando as incompatibilidades políticas da astronave Terra … Continuar a ler

“Fabricar notícias se tornou algo muito maior do que as próprias notícias”…

(em português-br) “Fabricar notícias se tornou algo muito maior do que as próprias notícias, visto que as equipes que trabalham nas agências são enormes, da mesma forma como são poderosos os meios de difusão. O que é novo é ter essa quantidade de informação ao mesmo tempo. Isso transforma qualquer tentativa classificatória em ilusão. Hoje … Continuar a ler

Marshall McLuhan – The World is a Global Village (O mundo é uma aldeia global)

Marshall McLuhan – The World is a Global Village (O mundo é uma aldeia global)

Extensões ou prolongamentos do corpo

(em português-br) “O homem desenvolveu, para tudo que costumava fazer com o próprio corpo, extensões ou prolongamentos deste mesmo corpo. A evolução de suas armas começa pelos dentes e punhos e termina com a bomba atómica. Indumentária e casa são extensões dos mecanismos biológicos de controle da temperatura do corpo. Instrumentos mecánicos, lentes, televisão, telefones e … Continuar a ler

O fascínio e a força envolvente da televisão…

(em português-br) “Jack Ruby alvejou Lee Oswald quando este se encontrava fortemente cercad opor guardas paralisados pelas câmaras de televisão. O fascínio e a força envolvente da televisão certamente não precisavam desta prova adicional de seu raro modo de agir sobre a percepção. Por uma parte, o assassinato de Kennedy deu ao povo um senso … Continuar a ler

O cerne da ilusão do cinema

(em português-br) “A questão dos filmes de Charles Chaplin ajuda a iluminar este problema. Tempos Modernos foi realizado como sátira ao caráter de fragmentação das tarefas modernas. Como palhaço, Chaplin apresenta o feito acrobático numa mímica de elaborada incompetência, pois toda tarefa especializada deixa de fora a maior parte de nossas faculdades. O palhaço nos … Continuar a ler

Meio de comunicação como extensão e acelerador da vida sensória.

(em português-br) “Qualquer invenção ou tecnologia é uma extensão ou auto-amputação de nosso corpo, e essa extensão exige novas relações e equilíbrios entre os demais órgãos e extensões do corpo. Assim, não há meio de recusarmo-nos a ceder às novas relações sensórias ou ao “fechamento” de sentidos provocado pela imagem da televisão. Mas o efeito … Continuar a ler

O conhecimento compartimentado

(em português-br) “Com esse reconhecimento da curvatura do espaço, em 1905, dissolveu-se oficialmente a galáxia de Gutenberg. Com o fim de especialismos lineares e fixos pontos de vista, o conhecimento compartimentado tornou-se tão inaceitável quanto sempre fora antes irrelevante. Mas, o efeito de tal modo fragmentado e isolado de pensar foi o de tornar a … Continuar a ler

Da “causa” para a “configuração”

(em português-br) “A propensão para buscar a causalidade monolinear talvez explique por que a cultura da palavra impressa há muito tem sido cega à maior parte das outras espécies de causalidade. E foi pelo consenso da ciência moderna e da filosofia que agora nos deslocamos da “causa” para a “configuração” em todos os campos de … Continuar a ler

A nova era electrónica e orgânica

(em português-br) “À medida que a sociedade de mercado se definia, passava também a literatura ao papel de mercadoria de consumo. O público tornava-se o mecenas ou patrono. A arte mudou de função, deixando de ser o guia da percepção para se fazer uma das amenidades da vida, uma mercadoria corrente. Por outro lado, porém, … Continuar a ler

“O homem não se tornou o centro via Gutenberg senão para ser imediatamente reduzido por Copérnico a estado de poeira periférica”

(em português-br) “Tornou-se mera banalidade dizer que o homem não se tornou o centro via Gutenberg senão para ser imediatamente reduzido por Copérnico a estado de poeira periférica. Pendente durante séculos da extremidade de uma corrente do ser, o homem teve sua linearidade interrompida por Darwin, que, em sua nova linearidade, ressaltou o “segmento faltante” … Continuar a ler

Entrevista a Marshall McLuhan em 1977 (em inglês) / A Marshall McLuhan 1977’s interview

Entrevista a Marshall McLuhan em 1977 (em inglês) / A Marshall McLuhan 1977’s interview

Os efeitos universais da palavra impressa no pensamento ocidental…

(em português-br) “É muito fácil comprovar os efeitos universais da palavra impressa no pensamento ocidental depois do século dezesseis, bastando para isso o simples exame dos desenvolvimentos por certo extraordinários em qualquer arte ou qualquer ciência. A linearidade fragmentada e homogênea, que aparece como descoberta nos séculos dezesseis e dezessete, torna-se a novidade popular ou … Continuar a ler

Personalidade do mês de Julho de 2013: Marshall McLuhan.

(em português-br) “A palavra impressa é a fase extrema da cultura alfabética que, na sua primeirafase, destribaliza ou descoletiviza o homem. Eleva aspectos visuais do alfabeto à maisalta intensidade da “definição”. Assim, leva o poder de individualização do alfabeto fonético muito mais longe do que podia fazê-lo a cultura manuscrita. É a tecnologia do individualismo. … Continuar a ler