Uma reforma racional da cultura

“(…) A crença que nos preenche – que à nossa cultura não é consentido dar-se por satisfeita, que ela pode e deve ser reformada através da razão e da vontade humana – só pode, portanto, “mover montanhas” na realidade e não na simples fantasia quando se transpõe para pensamentos sóbrios racionalmente evidentes, quando estes levam … Continuar a ler

Conhecimento fenomenológico

“O conhecimento é, pois, apenas conhecimento humano, ligado às formas intelectuais humanas, incapazde atingir a natureza das próprias coisas, as coisas em si.” Edmund Husserl (1859-1938) 

O modo humano de existência

“Não é o homem um ser racional pelo facto de que a sua qualidade de ser racional não pode por natureza realizar-se senão pela vontade, plenamente consciente de si, de ser e chegar a ser racional? A forma final para a qual tende este modo especificamente humano ou racional de existência não é acaso um … Continuar a ler

Quase um neocartesianismo

“Os novos impulsos que a fenomenologia recebeu devem-se a René Descartes, o maior pensador da França. É pelo estudo das suas Meditações que a nascente fenomenologia se transformou num novo tipo de filosofia transcendental. Poderíamos quase denominá-la um neocartesianismo, ainda que ela se tenha visto forçada a rejeitar quase todo o conteúdo doutrinário conhecido do … Continuar a ler

Consciência de alguma coisa

“(…) A propriedade fundamental dos modos de consciência, que o eu vive como eu, é a chamada intencionalidade, é sempre ter consciência de alguma coisa. A este quid da consciência pertencem os modos de ser como existente, ser presumido, não-ser, mas também os modos do ser-aparência, ser-bom ou ser-de-valor, etc. A experiência fenomenológica enquanto reflexão … Continuar a ler

A cultura extra-científica…

“A cultura extra-científica, que a ciência ainda não tocou, é uma tarefa e uma actividade do homem na finitude. O horizonte aberto e infinito, no qual vive, não está fechado; os fins que visa e as obras que realiza, seu comércio e suas modificações, sua motivação pessoal, colectiva, nacional e mítica, tudo se move num … Continuar a ler

A relação entre o conhecimento e o objecto

“Com o despertar da reflexão sobre a relação entre o conhecimento e o objecto abrem-se obstáculos abissais. O conhecimento, a coisa mais óbvia no pensamento natural, aparece de repente como um mistério.” Edmund Husserl (1859-1938)

Epoché de Husserl

“Enquanto homem radicado na atitude natural, como eu era antes da epoché*, vivia ingenuamente no interior do mundo; em plena experiência vigorava para mim, sem mais, o experimentado e, nessa base, eu levava a cabo as minhas outras tomadas de posição. Mas tudo isso ocorria em mim sem que eu para aí virasse a minha … Continuar a ler

Robert Sokolowski spoke on ‘Husserl On First Philosophy’ (em 5 partes)

O fenómeno primeiro da verdade e da razão

 “Husserl buscou o fenómeno primeiro da verdade e da razão, e encontrou-o na intuição entendida como a intencionalidade que atinge o ser.” Emmanuel Levinas (1906-1995)

Publicidade japonesa

Intelecção metódica da fenomenologia

“Posso, claro está, simular o meu ego de um modo inteiramente livre, posso considerar os tipos como possibilidades puramente ideais do ego doravante simplesmente possível e de um ego possível em geral (como livre variação do meu ego fáctico), e obtenho assim tipos essenciais, possibilidades aprioristas e leis essenciais inerentes; de igual modo, estruturas essenciais … Continuar a ler

A máxima “felicidade” possível…

“Uma vida que deva ser chamada ética em sentido autêntico não pode devir e crescer “por si”, à maneira da passividade orgânica, e nem mesmo ser dirigida e sugestionada do exterior (…) Somente sobre a base da própria liberdade um homem pode atingir a razão, e dar forma racional a si e ao mundo que … Continuar a ler

A ideia de uma filosofia universal

“Assim se realiza a ideia de uma filosofia universal – de um modo inteiramente diverso do que Descartes [1596-1650] e a sua época, guiados pela nova ciência da natureza, pensavam – não como um sistema universal da teoria dedutiva, como se todo o ente residisse na unidade de um cálculo, mas como um sistema de … Continuar a ler

After Hours, by Martin Scorsese

Still from After Hours written by Joseph Minion directed by Martin Scorsese starring Griffin Dunne  

O conceito de sinal (semiótica)

“Como sinal de uma coisa (de um conteúdo em geral) pode servir tudo aquilo que a distingue, que é adequada a diferenciá-la de outras, e pelo qual somos capazes de a reconhecer de novo. Não consideramos, todavia, esse reconhecimento como um mecanismo psicológico, que funciona sem que dêmos conta disso; que devido a uma representação … Continuar a ler

Compreensão crítica da nossa história

“Nós, que não temos apenas uma herança espiritual, mas que não somos outra coisa, de princípio ao fim, senão algo que deveio histórico-espiritualmente, temos apenas uma tarefa verdadeira e própria. Não a ganhamos pela crítica de qualquer sistema presente ou transmitido do passado, de uma “visão do mundo” científica ou pré-científica (por fim, até de … Continuar a ler

Personalidade do mês de Novembro de 2010: Edmund Husserl (1859-1938)

“Não posso viver, experimentar, pensar, valorar e agir em nenhum outro mundo que não tenha o sentido e a validade em mim e a partir de mim próprio. Se me elevar acima de toda esta vida e me abstiver de toda a realização de qualquer crença no ser, a qual supõe justamente o mundo como … Continuar a ler