Planeamento e a regulação da vida económica mundial

“Necessitamos de um instrumento de moeda internacional que tenha aceitação geral entre as nações (…)  “Necessitamos de um quantum de moeda internacional que não seja nem determinada de uma maneira irrelevante e não previsível, como, por exemplo, pelo progresso técnico da indústria aurífera, nem sujeita a grandes variações que dependam das políticas de reservas de … Continuar a ler

«Cosmopolitismo de cócoras»

* (Em português-br) «A perspectiva é de que os déficits cresçam na forma de uma “bola de neve” modificando a divisão da renda, continuamente, em favor dos rendimentos financeiros, e estrangulando os governos que aceitam e promovem sucessivos e inúteis ajustes orçamentários provocando uma crescente ingovernabilidade dos Estados e de suas instâncias subnacionais de poder» … Continuar a ler

«Acima e não abaixo da vasta superfície dos mercados…»

“O erro seria imaginar o capitalismo como um desenvolvimento por fases em saltos sucessivos: capitalismo mercantil, capitalismo industrial, capitalismo financeiro. (…) O leque mercantil, industrial, bancário, isto é, a coexistência de várias formas de capitalismo, abre-se já em Florença no século XIII, em Amesterdão no século XVII, em Londres já antes do século XVIII. No … Continuar a ler

Empatia

“Mas se não tens nenhuma solidariedade para com o meu infortúnio, ou nenhuma que seja proporcional à dor que me assola; ou se não sentes nenhuma indignação pelas ofensas que sofri, ou nada que seja proporcional com o ressentimento que me arrebata, já não poderemos conversar sobre esses temas. Tornamo-nos insuportáveis um ao outro. Não … Continuar a ler

Comércio externo

“(…) é notável que nem os antigos egípcios nem os indianos e chineses da Antiguidade tenham estimulado o comércio externo, parecendo portanto ter auferido da sua grande riqueza através da navegação puramente interna.” Adam Smith (1723-1790)

A biolinguística (palestra de Noam Chomsky)

A centralização do capital

“A centralização do capital (…) altera a distribuição dos capitais existentes, reunindo ‘capitais já constituídos’, por meio da destruição da sua independência individual, da expropriação do capitalista pelo capitalista, da transformação dos muitos capitais pequenos em uns poucos grandes… Num lugar o capital numa só mão  aumenta para uma enorme quantidade, porque noutro lugar foi perdido … Continuar a ler

Necessidade económica

“Os desenvolvimentos político, jurídico, filosófico, literário, artístico, etc., assentam sobre o desenvolvimento económico, mas reagindo uns sobre os outros e sobre a própria base económica. Isto não se passa porque a situação económica é a causa, a única causa activa e tudo o resto exerce apenas uma acção passiva. Pelo contrário, trata-se de uma acção … Continuar a ler

A circunstancialidade de Adam Smith…

“Quando os usos e costumes coincidem com os princípios naturais do certo e do errado, aumentam a delicadeza dos nossos sentimentos, e intensificam o nosso horror a tudo o que se aproxime do mal. Os que realmente foram educados em boa companhia, e não no que habitualmente se chama assim, que foram acostumados a observar … Continuar a ler

O reducionismo da visão smithiana na economia contemporânea

“O apoio que os crentes e defensores do comportamento baseado no interesse pessoal procuraram em Adam Smith é na verdade difícil de encontrar quando se faz uma leitura mais ampla e menos tendenciosa da obra smithiana. (…) De facto, é precisamente o reducionismo, na economia moderna, da ampla visão smithiana dos seres humanos que pode … Continuar a ler

Criada a primeira célula sintética (Craig Venter unveils "synthetic life")

Os dois princípios de justiça do liberalismo de Rawls

(1) Todas as pessoas têm igual direito a um projecto inteiramente satisfatório de direitos e liberdades básicas iguais para todos, projecto este compatível com todos os demais; e, nesse projecto, as liberdades políticas, e somente estas, deverão ter o seu valor equitativo garantido. (2) As desigualdades sociais e económicas devem satisfazer dois requisitos: primeiro, devem … Continuar a ler

O liberalismo económico de Adam Smith

“O Homem de Estado que se propusesse dirigir o modo como as entidades privadas hão-de empregar os seus capitais, não só se sobrecarregaria com uma tarefa extremamente inútil, como assumiria uma autoridade que nenhum organismo parlamentar ou colegial poderia aceitar e que em algumas condições seria tão perigosa como entregue a um homem que tivesse … Continuar a ler

Palestra sobre Adam Smith (lecture in english language)

  Adam Smith (1723-1790) Lecture Filmed as part of a second year course in social anthropology at Cambridge University in November 2001                                                                                                                         

Moeda Única e Internacionalização

“A integração monetária europeia e o seu sucesso também está dependente dos comportamentos quanto ao emprego. Se não aumentar a mobilidade dos trabalhadores, como era desejo da presidência luxemburguesa, os efeitos sobre o trabalho podem ser muito nefastos. Mas aumentar a mobilidade do factor trabalho exige alterações consideráveis no comportamento dos agentes europeus, políticas adequadas … Continuar a ler

«Apelamos, não para a sua humanidade, mas para o egoísmo…»

“Numa sociedade civilizada o homem necessita constantemente da ajuda e cooperação de uma imensidade de pessoas, e a sua vida mal chega para lhe permitir conquistar a amizade de um pequeno número. Em quase todas as outras espécies animais, cada indivíduo, ao atingir a maturidade, é inteiramente independente, e, no seu estado normal, não necessita … Continuar a ler

«European Union flag upgrade (Optimização da bandeira da União Europeia)»

«European Union flag upgrade (Optimização da bandeira da União Europeia)»

«guiado por uma mão invisível»

“Cada um trabalha, necessariamente, para que o rédito da sociedade seja o maior possível. Na realidade, ele não pretende, normalmente, promover o bem público, nem sabe até que ponto o está a fazer. (…) Ao dirigir essa indústria, de modo que a sua produção adquira o máximo valor, só está a pensar no seu próprio … Continuar a ler

«O valor que os trabalhadores acrescentam às matérias-primas…»

“(…) Logo que começa a existir riqueza acumulada nas mãos de determinadas pessoas, algumas delas utilizá-la-ão naturalmente para assalariar indivíduos industriosos a quem fornecerão matérias-primas e a subsistência, a fim de obterem um lucro com a venda do seu trabalho, ou com aquilo que esse trabalho acrescenta ao valor das matérias-primas. Ao trocar-se o produto … Continuar a ler

Ponte Maria Pia sobre o Douro

 .   1877 – Inauguração da Ponte Maria Pia sobre o Douro. Pela primeira vez é possível a ligação ferroviária entre Lisboa e Porto. (projecto de Seyrig da Casa Eiffel)