Interlúcido – ao novo ano de 2009

 .

Big Buddha – Alguns curiosos detalhes

.                                                            Alguns curiosos detalhes                         Big Buddha MR081212

A civilização a que chamamos europeia

“Quatro são, disse, as bases em que assenta a civilização europeia, quatro os princípios que constituem a sua individualidade ou essência. São eles a cultura grega, a Ordem romana, a Moral Cristã e a Política Inglesa. Não temos que ver se esses princípios nos são agradáveis, a cada um de nós pessoalmente, ou se nos … Continuar a ler

As perseverantes "virtudes" do jornalismo

“O que a sífilis poupou será devastado pela imprensa. Com o amolecimento cerebral do futuro, a causa não poderá mais ser determinada com segurança (…) A imagem de que um jornalista escreve tão bem sobre uma nova ópera como sobre um novo regulamento parlamentar tem algo de acabrunhante. Seguramente, ele também poderia ensinar um bacteriologista, … Continuar a ler

Um tempo saturado de ´agoras`

“A história é objecto de uma construção cujo lugar não é o tempo homogéneo e vazio, mas um tempo saturado de ´agoras`. Assim, a Roma antiga era para Robespierre um passado carregado de ´agoras`, que ele fez explodir do continuum da história. A Revolução Francesa via-se como uma Roma ressurrecta. Ela citava a Roma antiga … Continuar a ler

Roda Viva – Chico Buarque (1967)

 . Roda Viva – Chico Buarque (1967)

O monopólio da verdade

“(…) Houve uma longa incubação da mensagem cristã em todo o império romano e em todas as camadas da sociedade durante dois ou três séculos, até que, com a conversão do imperador Constantino, ela se torna não somente a religião de império como também a única religião oficial. Nesse momento o cristianismo integra a romanidade, … Continuar a ler

Os despojos a que chamamos bens culturais…

“(…) se nos perguntarmos com quem o investigador historicista estabelece uma relação de empatia. A resposta é inequívoca: com o vencedor. Ora, os que num momento dado dominam são os herdeiros de todos os que venceram antes. A empatia com o vencedor beneficia sempre, portanto, esses dominadores. Isso diz tudo para o materialista histórico. Todos … Continuar a ler

Voltar a encontrar um presente…

“Aos quinze anos, aos dez e seis anos, tinha acabado; eu estava no tempo, na fuga e no finito. O presente tinha desaparecido; já não houve para mim mais do que um passado e um amanhã sentido já como passado. Procuro desde essa época, todos os dias, aferrar-me a algo estável, procuro com desespero voltar … Continuar a ler

"Sentimento e vontade é que exigem tempo e espaço"

“O pensamento em si está fora do tempo e do espaço; é anterior a eles. Sentimento e vontade é que exigem tempo e espaço. A percepção é que está no tempo e no espaço; não o íntimo pensamento basilar na percepção. À percepção, portanto, é que estão ligados (limitados todos) sentimento e vontade.” Fernando Pessoa … Continuar a ler

O presépio, génese e simbologia

“E de entre as várias manifestações e símbolos do espírito do Natal uma delas sobressai, como sendo talvez a mais universal, popular e significativa: o presépio. Palavra de origem latina, que significa ´local onde se recolhe o gado`, o presépio é uma representação de cariz espiritual da cena do nascimento de Jesus, que assume contornos … Continuar a ler

VW Bar

 .                                                                    VW Bar                                           MR0812

As estruturas sociais

“Quanto mais complicada e especializada se torna a cultura moderna, tanto mais o seu aparato de apoio externo exige o perito despersonalizado e rigorosamente ‘objectivo’, em lugar do mestredas velhas estruturas sociais, que era movido pela simpatia e preferência pessoais, pela graça e pela gratidão.” Maximillian Carl Emil Weber (1864-1920)

O homem espectador

“Sabemos pela psicofisiologia, que a fadiga intelectual actua sobre o centro de subordinação localizado na base do cérebro regulando as oscilações da vida mental entre os estados de vigília e do sono. Durante a vigília, esse centro mantém o córtex cerebral em estado de comunicação constante com os órgãos dos sentidos, da receptividade periférica e … Continuar a ler

Os sentimentos de um grupo

“Um grupo é impulsivo, mutável e irritável. É levado quase que exclusivamente pelo seu inconsciente. Os impulsos a que um grupo obedece, podem, de acordo com as circunstâncias, ser generosos ou cruéis, heróicos ou covardes, mas são sempre tão imperiosos que nenhum interesse pessoal, nem mesmo o da autopreservação, pode fazer-se sentir (Le Bon). Nada … Continuar a ler

Por que se segue a pluralidade? É porque têm eles mais razão?

“Sendo a crescente acção do poder das multidõesum dos inevitáveis factores da vida moderna, cumpre saber suportá-la. Pascal já a isso se resignava. ´Por que se segue a pluralidade? É porque têm eles mais razão? Não, porém, mais força`. E pela única circunstância de ter sido a força conferida ao número, ou pelo menos àqueles … Continuar a ler

More Obama sneakers (sapatilhas Obama)

                                                    More Obama sneakers                             in:.”algures na Rede”

Lógica biológica

“A lógica biológica regula a duração do indivíduo e a da espécie à qual ele pertence. A vida individual é muito efémera; a da espécie muito mais longa, porém não eterna, porquanto nenhuma das espécies geológicas de que descobrimos os destroços, subsistiu até aos nossos dias. Elas foram precedidas e seguidas por outras, de duração … Continuar a ler

As massas. Uma espécie de irracionalidade…

“O indivíduo contacta directamente com a sociedade de duas maneiras – como membro de um grupo familiar, profissional ou religioso, ou como membro de uma multidão… Um homem na multidão perde a sua identidade pessoal e, claro, é por isso que ele gosta de pertencer às multidões. A identidade pessoal é o que ele quer … Continuar a ler

Obama discursa em Berlim…

                                                           Obama discursa em Berlim…  (2008)                            in:.”algures na Rede”