Não se trata mais de crise, mas de catástrofe das definições…

“O mundo económico, indeterminado e versátil, flutua em paralelo às análises que tentam controlá-lo sem a menor hipótese de sucesso. Não se trata mais de crise, mas de catástrofe das definições, dos fundamentos, dos remédios, da produção. Crê-se que es­tamos numa relação trabalho/capital. Ora, o trabalho tornou-se um objecto de consumo, segundo uma necessidade. O … Continuar a ler

El tiempo es un río que me arrebata

El tiempo es un río que me arrebata, pero yo soy el río; es un tigre que me destroza, pero yo soy el tigre; es un fuego que me consume, pero yo soy el fuego. El mundo, desgraciadamente, es real; yo, desgraciadamente, soy Borges.  Jorge Luis Borges Acevedo (1899 -1986)(Nueva refutación del tiempo).

Chico Buarque fala sobre o racismo

. Chico Buarque fala sobre o racismo

Um computador por criança

Crisis? What crisis? (Crise? Qual crise?)

. Supertramp  Crises? what crises?  1975 Two of us Look at me I’m a speck of sand, And I’m building dreams in a stranger’s land Tell me why do I care Tell me why do I care. Every time that I’m feeling down, oh they, pick me up and they spin me round. Tell me … Continuar a ler

A transparência

“Acho que a transparência deveria substituir sempre o segredo. Chego a imaginar o dia em que dois homens não terão mais segredos um para o outro porque não se terá segredos com ninguém, porque a vida subjectiva e a vida objectiva estarão ambas totalmente à vista.” Jean-Paul Sartre (1905-1980)