Personalidade do mês, Outubro 2007

Personalidade do mês: Ao longo deste mês de Outubro de 2007 conviveremos um pouco com Epicteto  (55-135 d.C) _________    _________ “Atitude e carácter do homem comum: ele não espera nada, nem de bem nem de mal, de si mesmo, e tudo de circunstâncias exteriores. Atitude e carácter do filósofo: ele espera tudo de bem e … Continuar a ler

"Nunca saiu da sua biblioteca"

Leitores . Daquele fidalgo heróico de tez seca E tão citrina hoje se conjectura Que, em véspera perpétua de aventura Nunca saiu da sua biblioteca. A crónica que narra os seus risonhos Feitos e os tragicómicos desplantes Foi sonhada por ele, não por Cervantes E não é mais que a crónica de sonhos Tal é … Continuar a ler

Tudo isto é uma repetição

«Freud tem razões muito inteligentes para dizer o que diz, uma grande imaginação e preconceitos colossais, e preconceitos que podem enganar as pessoas.» (…) Por exemplo a opinião de Freud segundo a qual a angústia é sempre de alguma forma uma repetição da angústia que sentimos ao nascer. Não estabelece essa opinião através da referência … Continuar a ler

Silêncio em Nova Iorque

                                                 Silêncio em Nova Iorque            In.: “alures na Rede“

Tudo que é real

«Russell disse que a memória não pode provar que aquilo de que lembramos efectivamente ocorreu, porque o mundo poderia ter começado a existir cinco minutos atrás, deixando tais memórias intactas. Poderíamos ir adiante e dizer que ele poderia ter sido criado um minuto atrás, e, finalmente, que ele poderia ter sido criado no momento presente. … Continuar a ler

A linguagem que criou o homem

“(…) é mais sensato pensar que foi a linguagem que criou o homem e não o homem a linguagem, desde que se acrescente que o hominídeo criou a linguagem.” Edgar Morin (n. 1921) Paris

Memória (XVIII)

“Parece-nos como se a memória fosse algum tipo de experiência secundária, quando comparada com a experiência do presente. Nós dizemos que nos “Podemos apenas lembrar daquilo”. Como se, num sentido primário, a memória fosse uma imagem de algum modo fraca e incerta do que nós originalmente tínhamos ante nós com total clareza.” Ludwig Wittgenstein (1889-1951)

Outro modo do mesmo modo

“A verdade é a reposição permanente dos enigmas. Porque não há unidade. Mas enquanto se fez o esforço das inquirições manteve-se um nó central: a energia das hipóteses, a sua força propulsora, os mitos da verdade. Ouçam: é bom mexer nas palavras, organizá-las num espaço, estabelecer-lhes os movimentos de rotação e translação umas com as … Continuar a ler

Bio 2020

Bio 2020

Manifesto Surrealista

“Ainda vivemos sob o império da lógica, eis aí, bem entendido, onde eu queria chegar. Mas os procedimentos lógicos, em nossos dias, só se aplicam à resolução de problemas secundários. O racionalismo absoluto que continua em moda não permite considerar senão factos dependendo estreitamente da nossa experiência. Os fins lógicos, ao contrário, nos escapam. Inútil … Continuar a ler

A linguagem não é um verdadeiro instinto

“Como… um dos fundadores da nobre ciência da filosofia observou, a linguagem é uma arte, como fermentar ou assar; mas a escrita teria sido uma comparação melhor. Ela decerto não é um verdadeiro instinto, pois toda a língua tem de ser aprendida. Contudo difere muito de todas as artes comuns, pois o homem tem uma tendência … Continuar a ler

Compreender uma linguagem

“O signo obtém o seu significado, do sistema de signos, da linguagem à qual pertence. Numa palavra: compreender uma frase significa compreender uma linguagem.” Ludwig Wittgenstein (1889-1951)       

Efeméride: solidariedade.

  Faz hoje 25 anos que um grupo de operários e intelectuais fundou na Polónia um sindicato independente o Solidarnosc (Solidariedade) em 22 de Setembro de 1980. A primeira organização de trabalhadores independente do governo no bloco comunista  entusiasmou os operários que aderiram em massa. Os trabalhadores e seus líderes, entre os quais se destacava … Continuar a ler

"A imagem lógica dos factos constitui o pensamento"

O signo proposicional 3. A imagem lógica dos factos constitui o pensamento. 3.001 – “Um estado de coisas é pensável” significa: nós podemos fazer dele uma imagem. 3.01 – A totalidade dos pensamentos verdadeiros constitui uma imagem do mundo. 3.02 – O pensamento contém a possibilidade do estado de coisas que ele pensa. O que … Continuar a ler

"Por trás do nome há o que não se grita"

Uma bússola .                                   Para Esther Zemborajn de Torres . Todas as coisas são palavras do idioma Em que Alguém ou em que Algo, noite e dia, Escreve aquela infinita algaravia Que é a história do mundo. Passam Roma E Cartago, eu, tu, ele, no seu tropel, A Vida que não sei, esta agonia De … Continuar a ler

Torre de Babel

Os estados de coisas

Os estados de coisas 2.03 – No estado de coisas os objectos se ligam uns aos outros como elos de uma cadeia.   2.031 – No estado de coisas os objectos se comportam uns em relação aos outros de uma maneira determinada. 2.032 – A maneira pela qual os objectos se ligam no estado de … Continuar a ler

"Uma gigantesca máquina demolidora de ilusões"…

(…) “Espaço-tempo sublime o da Utopia, a História finalmente domesticada pelo Logos, a igualdade garantida face às indeterminantes da liberdade, escravos, artesãos, guardas e filósofos dramaticamente preenchem os sonhos de Platão, as inúmeras desilusões que o levam a desesperar duma Atenas real que começa a encetar a sua curva descendente. A Razão que planeou cidades, … Continuar a ler

Imobilidade

“Não aprendo explicitamente as proposições que são ponto assente para mim. Descubro-as subsequentemente como o eixo em torno do qual roda um corpo. Este eixo não está fixo no sentido de haver alguma coisa a segurá-lo, mas o movimento em torno dele determina a sua imobilidade.” Ludwig Wittgenstein (1889-1951) In.: Da certeza

Faculdade da linguagem

“A língua é o produto social da faculdade da linguagem e um conjunto de convenções necessárias, adoptadas pelo corpo social, para permitir o exercício dessa faculdade nos indivíduos. Trata-se de um tesouro depositado pela prática da fala em todos os indivíduos pertencentes à mesma comunidade, um sistema gramatical que existe virtualmente em cada cérebro ou, … Continuar a ler