singrando vai

Nas vastas águas…

.

Nas vastas águas que as remadas medem.

tranquila a noite está adormecida.

Deslisa o barco, sem que se conheça

que o espaço ou tempo existe noutra vida,

em que os barcos naufragam, e nas praias

há cascos arruinados que apodrecem,

a desfazer-se ao sol, ao vento, à chuva,

e cujos nomes se não vêem já.

Ao que singrando vai, a noite esconde o nome.

.

Jorge de Sena (1919-1978)

Agosto 1967

in Visão Perpétua

Deixar um apontamento

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: