Razão e Evolução

“A razão é apresentada por Nozick [Robert Nozick (1938-2002)] como uma capacidade humana seleccionada pela evolução. Isto permite explicar a racionalidade a dois níveis: por um lado as suas regras são suficientemente maleáveis de forma a poderem adaptar-se a um meio ambiente inconstante, por outro lado existem certos princípios tomados como evidentes que foram eles mesmos seleccionados, princípios como o da existência do mundo exterior e das outras mentes são exemplos por excelência. Estes princípios podem ser questionados pela razão, e analisados, tal como os filósofos têm feito (sem grande sucesso). No entanto, podemos confiar neles pelo menos na medida em que sabemos que foram seleccionados pela sua eficácia. Esta concepção evolucionista da racionalidade é aquilo que Nozick chama a “revolução copernicana” de Kant ao contrário. Isto significa que não é a razão que dá forma aos factos como em Kant, mas são os factos, o mundo, que formaram a racionalidade tal como nós a exercemos hoje. Esta concepção não pretende fundar a razão, justificá-la, apenas pretende explicar a origem do instrumento a que chamamos racionalidade.” 

Extractos do artigo:Robert Nozick e a Natureza da Racionalidade” (Cortesia de Sara Bizarro)

Deixar um apontamento

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: