alavanca

“Dêem me um ponto de apoio e eu levantarei o mundo.” * Arquimedes (287 a.C.-212 a.C.) . * .   No mês de Maio, mnemosyne conviverá um pouco com o mundo de Arquimedes (287 a.C. – 212 a.C.), sábio da Grécia Antiga,  um dos maiores pensadores da Humanidade.

e a espera gastou a luz de mais um dia…

São horas de voltar    . São horas de voltar. Tu já não vens, e a espera gastou a luz de mais um dia. Agora, quem passar trará um corpo incerto dentro do nevoeiro, mas terá outro nome e outro perfume. Eu volto    à casa onde contigo se demorou o verão e arrumo os livros, … Continuar a ler

Greta Garbo

Greta Garbo  (1905-1990), nasceu na Suécia

o discernimento não tem o primado sobre a sabedoria filosófica…

“Mas apesar disto o discernimento não tem o primado sobre a sabedoria filosófica, isto é, sobre a parte mais elevada de nosso intelecto, da mesma forma que a arte da medicina não tem o primado sobre a saúde, mas se esforça para que ela exista; ela emite ordens, então no interesse da saúde, mas não … Continuar a ler

entrada de turistas…

economia: entrada de turistas per capita

vaidade

Cagnacci: vaidade

espectáculo total da realidade

“Tentamos exorcizar a alteridade radical da morte por meio da terapia, da cirurgia estética, da clonagem, num sistema de identificação total entre todos, de ‘metástase do mesmo’. E todos se transformam em actores do espectáculo total da realidade, como nos actos televisivos imediatos dos reality shows. Cada indivíduo é uma reprodução de um ‘eu genérico’, … Continuar a ler

o metafísico

Na matemática geometrizada grega antiga, já se abstraem conceitos das figuras concretas, e desses, conclusões independentes, como na teoria das proporções de Eudoxo. . Reflectindo sobre o que há de universal na matemática, em “Metafísica”, Aristóteles (384 a. C.- 322 a. C.) afirma que o matemático contempla aquilo que existe por abstracção, em que vê … Continuar a ler

25 de abril

acreditar em algo

“é sempre incorrecto, seja onde for e para quem for, acreditar em algo sem provas suficientes” . W. K. Clifford (1845-1879) In.: “A Ética da Crença”, 1877

a fim de salvaguardar a verdade

“Seria melhor, talvez, considerar o bem universal e discutir a fundo o que se entende por isso, embora tal investigação nos seja dificultada pela amizade que nos une àqueles que introduziram as Ideias. No entanto, os mais ajuizados dirão que é preferível e que é mesmo nosso dever destruir o que mais de perto nos … Continuar a ler

risonhas raparigas mais nuas que os frutos…

Gente sem raízes . Chega de mar. Já vimos mar que chegue. Ao entardecer, quando deslavada a água se estende e se esfuma no nada, o meu amigo olha-a fixamente e eu fito o meu amigo e nenhum de nós fala. Chegada a noite, acabamos por ir enclausurar-nos nos fundos duma taberna, sozinhos no meio … Continuar a ler

A princípio tudo me pareceu sujo e repugnante…

“A princípio tudo me pareceu sujo e repugnante. Não me refiro aqui à expressão ávida e inquieta desses rostos que às dúzias, e até às centenas, rodeiam o pano verde. Não vejo nada de sujo no desejo de se ganhar o máximo possível no menor espaço de tempo. Sempre achei absurda a ideia dum moralista … Continuar a ler

dotado de discernimento

“…enquanto os jovens se tornam geómetras, ou matemáticos, ou sábios em matérias do mesmo género, não parece possível que um jovem seja dotado de discernimento. A razão disso é que este tipo de sabedoria não se relaciona apenas com os universais, mas também com os factos particulares; estes se tornam mais conhecidos graças à experiência, … Continuar a ler

sequência do ADN

sequência do ADN humano

as primeiras ondas de infinidade…

A noite vem buscar secretamente através das dobras das cortinas brilho de sol esquecido em teu cabelo. Olha, nada mais quero que não seja ter entre as minhas tuas mãos, e ser tranquilo e bom, todo cheio de paz. . Fazes-me crescer a alma que estilhaça o dia-a-dia em cacos; e assim ganha uma amplitude … Continuar a ler

um animal para o qual a convivência é natural…

“Outra questão muito debatida é saber se uma pessoa feliz necessita ou não de amigos. Diz-se que as pessoas sumamente felizes e auto-suficientes não necessitam de amigos, pois elas já têm as coisas boas e portanto, sendo auto-suficientes, não necessitam de qualquer outra coisa, ao passo que a função de um amigo, que é um … Continuar a ler

o confuso amontoado do social…

“… todo o confuso amontoado do social se move em torno desse referente esponjoso,   dessa realidade ao mesmo tempo opaca e translúcida, desse nada: as massas” * Jean Baudrillard (1929-  )

Equilíbrio

Bill Dan Rock Balancing                                obtido aqui

vida moderna

  “…quanto mais opaca e complicada se torna a vida moderna, tanto maior o número de pessoas tentadas a agarrar-se desesperadamente a clichés que parecem impor alguma ordem ao que, de outro modo, é incompreensível” . Theodor W. Adorno (1903-1969)