frases: dor

“Aquele que sente dor cessa de sentir qualquer outra coisa a não ser a si mesmo”. * Hannah Arendt (1906-1975)

Tribunal da Inquisição

Giordano Bruno na fogueira André Durand (n. 1947)  . . . . . Faz hoje – 31 de Março de 2006 – 185 anos que o Tribunal da Inquisição foi extinto em Portugal (1821). Tinha sido instituído por meio da bula “Cum ad nihit magis”, de 23 de Maio de 1536*. (*sendo portanto a duração … Continuar a ler

labirinto XCVI

  labirinto ICVII    –  manipulação digital (a partir de plágio) / MR060330 

É perder-se em galerias…

“Pensar não é sair da caverna nem substituir a incerteza das sombras pelos contornos nítidos das próprias coisas, a claridade vacilante de uma chama pela luz do verdadeiro Sol. É entrar no Labirinto, mais exactamente fazer ser e aparecer um Labirinto quando se poderia ter ficado ‘estendido entre as flores, voltado para o céu’. É … Continuar a ler

simultaneidade

“Do conhecimento que abarca tudo resulta necessariamente a simultaneidade, que abole a sucessão do tempo, e por conseguinte a morte. Instaura-se na vida humana uma espécie de eternidade, mais precisamente uma imagem da eternidade”. . Hannah Arendt (1906-1975) In.: “Homens em Tempos Sombrios”

Touro Sentado

Touro Sentado (1831-1890)                             In.: “algures na Rede”

a palavra dada…

     “Todos compreendem como é digno de louvores um príncipe quando cumpre a sua palavra e vive com integridade e não com astúcia. No entanto, a experiência de nossos dias mostra haverem realizado grandes coisas os príncipes que, pouco caso fazendo da palavra dada e sabendo com astúcia iludir os homens, acabaram triunfando dos que … Continuar a ler

a bondade

“Quando a bondade se mostra abertamente já não é bondade, embora possa ainda ser útil como caridade organizada ou como acto de solidariedade. Daí: ‘Não dês tuas esmolas perante os homens, para seres visto por eles’. A bondade só pode existir quando não é percebida, nem mesmo por aquele que a faz; quem quer que … Continuar a ler

Fermenta a mudança

O corpo e os seus lugares . Fermenta a mudança, a escrita, o feltro, os filtros e as atmosferas. Fermenta a noite, errante, com os cabelos errantes errando, os olhos narrativos, o corpo desencadeando a forma e a matéria, os olhos fermentando as linhas distorcidas, as fábricas e as atmosferas;    o corpo e os … Continuar a ler

Maurits Cornelius Escher

   M.C. Escher . . . . . . . . . . . Faz hoje – 27 de Março de 2006 – 34 anos que morreu Maurits Cornelius Escher (1898-1972) OOO .

escolha do mal menor

  “Esse argumento [escolha do mal menor] é um dos mecanismos embutidos na maquinaria de terror e criminalidade. A aceitação de males menores é conscientemente usada para condicionar os funcionários do governo, bem como a população em geral, a aceitar o mal em si mesmo.” . Hannah Arendt (1906-1975)  

O Estrangeiro

O Estrangeiro (1989) Caetano Veloso   O pintor Paul Gauguin amou a luz da Baía de Guanabara O compositor Cole Porter adorou as luzes na noite dela A Baía de Guanabara O antropólogo Claude Levy-strauss detestou a Baía de Guanabara: Pareceu-lhe uma boca banguela. E eu menos a conhecera mais a amara? Sou cego de tanto … Continuar a ler

Q`est ce qu`on va faire aujourd’hui?!

Paris, mars 2006: “Q`est ce qu`on va faire aujourd’hui?!” * Foto in.: “algures na Rede”

os meios de violência são inúteis…

“Onde as ordens não são mais obedecidas, os meios de violência são inúteis; e a questão dessa obediência não é resolvida pela relação ordem-violência, mas pela opinião, e naturalmente pelo número de pessoas que a compartilham. Tudo depende do poder atrás da violência.” . . Hannah Arendt (1906-1975)

O poder não necessita de justificação…

“O poder não necessita de justificação, sendo inerente às próprias comunidades políticas: o que realmente necessita é legitimidade. O comum emprego destas palavras como sinónimos é tão enganoso e confuso quanto a comum identificação entre obediência e apoio. . O poder brota onde quer que as pessoas se unam e actuem de comum acordo, mas … Continuar a ler

viagem

viagem                                                      In.:”algures na Rede”

Frases

“Vida é existência e existência limitada, onde a ciência  deve sempre visar o esclarecimento dessa existência.” .  Karl Jaspers (1883-1969)

fluida relatividade das relações sociais e do comércio…

“Valores são bens sociais que não têm significado autónomo, mas, como outras mercadorias, existem somente na sempre fluida relatividade das relações sociais e do comércio. Através desta relatividade, tanto as coisas que o homem produz para seu uso como os padrões conforme os quais ele vive sofrem uma mudança decisiva: tornam-se entidades de troca e … Continuar a ler

outro labirinto

labirinto                                                               In.: “algures na Rede“

um consenso sobre o que é pensar…

“Mas qual será nosso critério quotidiano para sabermos quando alguém pensa? Nada além da observação de seu comportamento: se seu comportamento for idêntico ao nosso, sentimo-nos à vontade para atribuir pensamento a essa criatura. O critério de atribuição de pensamento baseia-se na aproximação com nossos possíveis comportamentos: é por intermédio desse critério que julgamos não … Continuar a ler