Na nongésima nona noite…

“Um mandarim estava apaixonado por uma cortesã. «Serei  tua», disse ela, «quando tiveres passado cem noites, sentado num banquinho, a esperar por mim, no meu jardim, debaixo da minha varanda».

Na nongésima nona noite o mandarim levantou-se, pôs o banquinho debaixo do braço e foi-se embora.”

.

Roland Barthes (1915-1980)

In.: “Fragmentos do discurso amoroso” p. 96.

Deixar um apontamento

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: