Sem antes nem depois…

“Num instante que emerge hoje isolado, Sem antes nem depois, contra o olvido, E que tem o sabor do já perdido, Do já perdido e do recuperado.” . Jorge Luis Borges (1899-1987)

Ariane

Ariane 1988 –  Óleo sobre tela – 130 x 97 cm   Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992]

solução

“A formulação de um problema é mais importante que a sua solução”                                Albert Einstein (1879-1955)

pó de estrelas

“Somos a encarnação local de um Cosmos que toma consciência de si-próprio. Começámos a contemplar as nossas origens: pó de estrelas meditando acerca das estrelas; ajuntamentos organizados de dez mil biliões de biliões de átomos analisando a evolução do átomo; descobrindo a longa caminhada que, pelo menos para nós, levou ao aparecimento da consciência. Devemos … Continuar a ler

diálogo com o universo

diálogo com o universo   zzepda

uma excitação nervosa

(…) É apenas graças à sua capacidade de esquecimento que o homem pode chegar a crer que possui uma “verdade” no grau que indico. Se não se quiser contentar com a verdade na forma de tautologia, isto é, com invólucros sem conteúdo, dirigirá eternamente ilusões contra verdades. O que é uma palavra? A representação sonora … Continuar a ler

partilha de Portugal…

Em 27 de Outubro de 1807 – faz hoje 198 anos – é celebrado o Tratado de Fontainebleau, onde, França e Espanha fazem a partilha de Portugal. As Províncias de Entre-Douro-e-Minho, com capital na Cidade do Porto, formariam a Lusitânia Setentrional; as Províncias do Alentejo e dos Algarves comporiam o Principado do Algarves, que passaria … Continuar a ler

sonho impalpável do desejo

IDEAL . Não é a Circe, cuja mão suspeita Compõe filtros mortais entre ruínas, Nem a Amazona, que se agarra às crinas Dum corcel e combate satisfeita… . A mim mesmo pergunto, e não atino Com o nome que dê a essa visão, Que ora amostra ora esconde o meu destino…  . É como uma … Continuar a ler

Renúncia

Renúncia   Misha Gordin (n. 1946) fotografia conceptual  

convicções

. . “As convicções são inimigas mais  perigosas da verdade do que as mentiras.”    Friedrich Nietzsche (1844-1900)

"novelos de espuma"

Caminho pelo lado da rebentação das ondas .       Caminho pelo lado da rebentação das ondas ― o litoral guarda segredo dos meus passos entre as redes de sal trazidas pelos barcos e o labirinto das algas ainda agora oferecidas   à praia. Sinto-me à mercê das falésias a riscar o teu nome … Continuar a ler

tempo (XXVIII)

Estudo do tempo Uma  sociedade desde 1966    A Sociedade Internacional para o Estudo do Tempo (ISST, em inglês) é uma organização profissional de cientistas e humanistas interessados em explorar a ideia e experiência do tempo e o papel que o tempo desempenha no mundo físico, orgânico, intelectual e social. Fundada em 1966 pelo norte-americano … Continuar a ler

ideias das maiorias

“Não é lisonjeando o mau gosto e as péssimas ideias das maiorias, indo atrás delas, tomando por guia a ignorância e a vulgaridade, que se hão de produzir as ideias, as ciências, as crenças, os sentimentos de que a humanidade contemporânea precisa.”   Antero de Quental (1842-1891)

"uma espécie mais forte de homem"…

Adivinhei, com isso, em que medida uma espécie mais forte de homem teria necessariamente de pensar a elevação e intensificação do homem em direcção a um outro lado: seres superiores, para além de bem e mal, para além daqueles valores que não podem negar sua origem na esfera do sofrer, do rebanho e da maioria … Continuar a ler

Haiku (Onitsura)

Haiku (Onitsura)

um único caminho…

“Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar para atravessar o rio da vida. Ninguém, excepto tu, só tu. Existem, por certo, atalhos sem número, e pontes, e semideuses que se oferecerão para levar-te além do rio, mas isso te custaria a tua própria pessoa: tu te hipotecarias e te perderias. Existe … Continuar a ler

Nunca amamos alguém

Composto por Bernardo Soares, ajudante de guarda-livros na cidade de Lisboa . (Fragmentos) . ” Nunca amamos alguém. Amamos, tão-somente, a ideia que fazemos de alguém. É a um conceito nosso – em suma, é a nós mesmos – que amamos. . Isto é verdade em toda a escala do amor. No amor sexual buscamos … Continuar a ler

lançar mundos no mundo

“Porque a frase, o conceito, o enredo, o verso (E, sem dúvida, sobretudo o verso) É que pode lançar mundos no mundo.” . Caetano Veloso (n. 1942)  “Livros”, 1997

individuação / colectivo

“É importante para a meta da individuação, isto é, da realização de si-mesmo, que o indivíduo aprenda a distinguir entre o que parece ser para si mesmo e o que é para os outros. É igualmente necessário que consciencialize o seu invisível sistema de relações com o inconsciente… a fim de poder diferenciar-se…” Carl Gustav … Continuar a ler

Rossio

Rossio/ Lisboa