"grito clandestino"

. (Fragmentos) Composto por Bernardo Soares, ajudante de guarda-livros na cidade de Lisboa . “Há em olhos humanos, ainda que litográficos, uma coisa terrível: o aviso inevitável da consciência, o grito clandestino de haver alma.” . “Sinto um frio de doença súbita na alma” . Fernando Pessoa (1888-1935)

Martin Heidegger, a interrogação sobre o Ser.

Para Martin Heidegger (1889-1976), existem as coisas, animais e plantas; a estes podemos atribuir os predicados que quisermos; do Ser, dizer que ele é, a única afirmação que pode ser feita, já é demais; o ser humano é aquele que não existe nem é, situando-se “entre os dois”, ex-sistindo, na medida em que é o … Continuar a ler

"I have a dream"…

Martin Luther King, Jr. (1929-1968) Discurso de Martin Luther King proferiu num comício, que reuniu 250.000 pessoas, para defesa dos Direitos Civis dos negros nos Estados Unidos da América (passa hoje precisamente um mês sobre o 42.º aniversário dessa data – 28/Ago/1963). I have a dream

os deuses e o ser

“Nós chegamos muito tarde para os deuses e muito cedo para o ser” . Martin Heidegger (1889-1976)

canção de Amor

A canção de Amor de J. Alfred Prufrock . S’i credesse che mia risposta fosse A persona che mai tornasse al mondo, Questa fiamma staria senza più scosse. Ma però che già mai di questo fondo Non torno vivo alcun, s’i’odo il vero, Sanza tema d’infamia ti rispondo. (Dante Alighieri, La divina commedia, Inferno) . … Continuar a ler

tempo (XXVII)

“Lá onde estava o deus, resta apenas o tempo. Mas o tempo como  condição, como  forma  sem conteúdo, vazio  e  puro”.  . Friederich  Holderlin (1770-1843), poeta alemão

liberdade cósmica

liberdade cósmica / (manipulação digital)    MR050924

linguagem

Alberto Caeiro . Eu não tenho filosofia: tenho sentidos… Porque só sou essa coisa séria, um intérprete da Natureza, Porque há homens que não percebem a sua linguagem, Por ela não ser linguagem nenhuma. . . Fernando Pessoa (1888-1935)

"conhecer é criar e repetir é a tradição"

Martin Heidegger (1889-1976) não só traz uma nova perspectiva ontológica, mas exerce a crítica sobre o modo de conhecimento, baseado na metafísica, que supõe uma essência imutável e, portanto, um conhecimento que é apenas repetição, uma vez que se atinja o que é. Se o real devém, não é possível que o conhecimento chegue a … Continuar a ler

acaso linguístico

acaso linguístico

uma língua e diferentes culturas

(…) “Uma língua e diferentes culturas. É essa a nossa riqueza. Somos diferentes na mesma língua. Uma língua em que as vogais não têm todas a mesma cor. O A de Craveirinha não tem a cor do A de Sophia, o E de João Cabral de Melo Neto não é o de Ramos Rosa, o … Continuar a ler

a linguagem é a casa do ser

“A essência da linguagem não se esgota na significação, nem tem apenas carácter de sinal ou de cifra. Uma vez que a linguagem é a casa do ser, nós chegamos a ele pela actividade contínua de andar por essa casa.” Martin Heidegger (1889-1976) As principais obras de Heidegger: ·   Abraão de Santa Clara (1910); ·   … Continuar a ler

Antropozóico

Antropozóico / (manipulação digital)               MR050919

faz hoje 14 anos

No dia 9 de Agosto de 1991 –  faz hoje 14 anos – sectores conservadores do Partido Comunista e das Forças Armadas da União Soviética prendem Gorbatchov e tentam restaurar a linha dura no governo da URSS. A firme oposição de Iéltsin e a mobilização da população de Moscovo e Leninegrado frustram a tentativa de … Continuar a ler

o ente e o nada

. “Porque há simplesmente o ente e não antes o nada? Eis a questão. Certamente não se trata de uma questão qualquer. Essa é evidente, é a primeira de todas as questões.”   . Martin Heidegger (1889-1976)

segundos

Martin Heidegger (1889-1976), Temporalidade: o Vigor do Ter Sido, o Instante e o Porvir.

Martin Heidegger, na sua obra mestra, Ser e Tempo aborda o tema da Temporalidade dividindo-a em três “Ek-stases” o Vigor do Ter Sido, o Instante e o Porvir. O Vigor do Ter Sido refere-se ao passado; nascemos com uma carga genética definida, mas esta matriz será delineada de acordo com a teia de acontecimentos que o … Continuar a ler

Hölderlin, "A natureza mais velha do que os tempos"…

Mas eis o dia! Esperei-o e o vejo vir, E do que vi o sagrado é testemunha. A natureza mais velha do que os tempos E acima dos deuses do Ocidente e do Oriente, Desperta num estrépito de armas. E do Éter até o fundo dos abismos Segundo firme lei, nascido como outrora, do caos … Continuar a ler

disponível, abrigado…

“O Carvalho mesmo assegurava que só semelhante crescer pode fundar o que dura e frutifica; que crescer significa: abrir-se à amplidão dos céus, mas também deitar raízes na obscuridade da terra; que tudo que é verdadeiro e autêntico só chega à maturidade se o homem for, simultaneamente, ambas as coisas: disponível ao apelo do mais … Continuar a ler

"No tempo em que festejavam o dia dos meus anos"

Álvaro de Campos 15-10-1929   . Aniversário . No tempo em que festejavam o dia dos meus anos, Eu era feliz e ninguém estava morto. Na casa antiga, até eu fazer anos era uma tradição de há séculos, E a alegria de todos, e a minha, estava certa com uma religião qualquer. No tempo em que … Continuar a ler