Em 1596, há 409 anos!…

aniversário – René Descartes

"eu" inconsciente…

“A consciência é como uma superfície ou película cobrindo a vasta área inconsciente, cuja extensão é desconhecida. Ignoramos a extensão do domínio inconsciente pela simples razão de desconhecermos tudo a seu respeito. Não se pode dizer coisa alguma a respeito daquilo sobre o qual nada se sabe… Quando dizemos “inconsciente” o que queremos sugerir é … Continuar a ler

algures

  In algures na Rede -//- «Habitualmente, pensamos no mundo como “algo fora de nós”, mas o que  percebemos é fruto de modelos cognitivos que existem apenas no nosso cérebro.» . André Parente  In O Virtual e o Hipertextual, Rio de Janeiro: Pazulin, 1999.  

Estas Verdades

Estas Verdades Alberto Caeiro . Estas verdades não são perfeitas porque são ditas. E antes de ditas pensadas. Mas no fundo o que está certo é elas negarem-se a si próprias. Na negação oposta de afirmarem qualquer cousa. A única afirmação é ser. E ser o oposto é o que não queria de mim.   Fernando … Continuar a ler

curvas: hipotrocóide

hipotrocóide

para ser feliz!

O homem vendo que é incapaz de solucionar todos os problemas e que isso o aborrece, para ser feliz ignora-os. Blaise Pascal (1623-1662)

No limiar do labirinto…

“No limiar do labirinto, a criança não manifesta medo; pelo contrário, o desejo de exploração predomina como se soubesse, confusamente, que só poderá se reencontrar se ousar perder-se”. (Gagnebin, 1994: 103)     Jeanne Marie Gagnebi É professora de filosofia na PUC/SP e de teoria literária na Unicamp, autora, entre outros, de “História e Narração … Continuar a ler

O optimismo "complexo" de Edgar Morin

EDUCAÇÃO E CULTURA Edgar Morin (n. Paris 1921) Conferência de Abertura do Seminário Internacional de Educação e Cultura, realizado no SESC Vila Mariana, agosto/2002 – São Paulo. (Excerto) . É evidente que o desenvolvimento da mundialização cultural é inseparável do desenvolvimento mundial das redes mediáticas, da difusão mundial dos modos de reprodução (cassetes, cds, vídeos) … Continuar a ler

Justiça…

  Estátua de Pascal no Louvre          . . «É arriscado dizer ao povo que as leis não são justas; pois ele só lhes obedece porque as julga justas. Eis porque é preciso dizer-lhe, ao mesmo tempo, que é preciso obedecer porque são leis, do mesmo modo porque é preciso obedecer aos superiores, não porque sejam justos, … Continuar a ler

espaço / tempo / sentimento

Blaise Pascal (1623-1662) Pensamentos ·        Quando considero a pequena duração de minha vida absorvida na eternidade precedente e seguinte, memoria hospitis unius diei proetereuntis (¹), o pequeno espaço que encho, e mesmo que vejo abismado na infinita imensidade dos espaços que ignoro, e que tu ignoras, espanto-me e assombro-me ao ver aqui antes que lá, … Continuar a ler

Última Ceia

O Sacramento da Última Ceia, 1955 Salvador Dali (1904-1989)

Insularidades

PENSAR UM NOME    . para falar de uma ilha não há um nome único. é preciso dizer casas e telhados, um cemitério ao fundo onde algures a água pode chegar   .  essa água sempre girando à volta dos olhos dessa mesma gente abatendo o pó das mesmas ruas e enxotando as mesmas crianças … Continuar a ler

raciocínio lógico

raciocínio lógico / (des)construção digital   MR050324

Plutão

O nono planeta Hoje – 24 de Março de 2005 – faz 75 anos (apenas!…) que, ao então recentemente descoberto nono planeta do nosso sistema solar, foi dado o nome de Plutão.

ego

“Quanto  é difícil  propor uma  coisa  ao  julgamento   de   outra   pessoa  sem  lhe  corromper  o  julgamento  pela maneira pela qual a propomos.”   Blaise Pascal (1623-1662)

Números: esperança de vida

esperança  de  vida

Templo: Mesquita de Mecca

Mesquita de Mecca

sublime, soturna e abissal Alejandra!

CUARTO SOLO . Si te atreves a sorprender el sentido de esta vieja pared; y sus fisuras, desgarraduras, formando rostros, esfinges, manos, clepsidras, seguramente vendrá una presencia para tu sed, probablemente partirá esta ausencia que te bebe. . Alejandra Pizarnik (Buenos Aires, 1936-1972)

mecca

Conhecer…

O homem perante a natureza (cont.) Blaise Pascal (1623-1662) (…) E como todas as coisas são causadoras e causadas, auxiliadoras e auxiliadas, mediatas e imediatas, e todas se acham presas por um vínculo natural e insensível que une as mais afastadas e diferentes, parece-me impossível conhecer as partes sem conhecer o todo, bem como conhecer … Continuar a ler