O amor em Neruda

Poema de Amor número 20 Pablo Neruda (1904-1973) Posso escrever os versos mais tristes esta noite. Escrever, por exemplo: “A noite está estrelada”, e tiritam, azuis, os astros, à distância”. O vento da noite gira no céu e canta. Posso escrever os versos mais tristes esta noite. Eu a quis e às vezes ela também … Continuar a ler

Recordando o genial e misterioso Dostoevsky

  Fyodor Dostoyevsky, Russian author (1821-1881) Man has such a predilection for systems and abstract deductions that he is ready to distort the truth intentionally, he is ready to deny the evidence of his senses only to justify his logic.

tomar em pequenas doses!…

A televisão é o espelho onde se reflecte a derrota de todo o nosso sistema cultural.                                           Frederico Fellini (1920-1993)

em Português…

……………………………………………………………………………….. O Mirante recaíra em silêncio – Gonçalo temia que o traíssem as pancadas do seu coração… Santo Deus! De novo o murmúrio recomeçara, mais apressado, mais turbado. Alguém suplicava,  balbuciava: – “Não, não, que loucura!” – Alguém urgia, impaciente e ardente: – “Sim, meu amor!sim, meu amor!” E a ambos os reconheceu – tão … Continuar a ler

poesia angolana

José  Eduardo  Agualusa Os rios atônitos (Ouvindo “Kongo”, por Miriam Makeba) Há palavras a dormir sobre o seu largo assombro Por exemplo, se dizes Quanza ou dizes Congo é como se houvesse pronunciado os próprios rios Ou seja, as águas pesadas de lama, os peixes todos e os perigos inumeráveis O musgo das margens, o … Continuar a ler

leda e o cisne

Leonardo da Vinci (1452-1519)

haiku

         WATERCOLOR PAPER       STOPPING A WAVE WITH A BRUSH                                                  anónimo

vento

   wind (vento) / pintor japonês (?)

O Corvo!

O Corvo de Edgar Allan Poe (1809-1849) (tradução de Fernando Pessoa) 1 Numa meia-noite agreste, quando eu lia, lento e triste, Vagos, curiosos tomos de ciências ancestrais, E já quase adormecia, ouvi o que parecia O som de algúem que batia levemente a meus umbrais. “Uma visita”, eu me disse, “está batendo a meus umbrais. … Continuar a ler

Words / as palavras

Without words, without writing and without books there would be no history, there could be no concept of humanity. Hermann Hesse (1877-1962)

asimov faria hoje 84 anos… (e as leis da robótica)

Isaac Asimov: nasceu em 2  de Janeiro de 1920. Faz hoje 12 anos que faleceu (6 de Abril de 1992). Autor, bioquímico, de origem Russa, considerado o pai da moderna ficção científica. Legou 467 livros técnicos e de ficção científica. “Eu Robot” “Os nove amanhãs”, “Fundação”/trilogia, “Dentro do átomo” e “O cérebro humano” são as obras mais lidas. Foi um génio … Continuar a ler

Leda / Leonardo da Vinci

LEDA Desenho de Leonardo da Vinci

Leonardo da Vinci

Leonardo da Vinci (1452-1519) (pintor italiano,  escultor, arquitecto, músico, engenheiro, cientista.)

octavio paz

* REPETICIONES El corazón y su redoble iracundo el obscuro caballo de la sangre caballo ciego caballo desbocado el carrousel nocturno la noria del terror el grito contra el muro y la centella rota Camino andado camino desandado El cuerpo a cuerpo con un pensamiento afilado la pena que interrogo cada día y no responde … Continuar a ler

Leonardo `s Vitruvian. Estudos – 2004. Quadratura do círculo.

Text accompanying Leonardo DaVinci’s Vitruvian Man Vitruvius, the architect, says in his work on architecture that the measurements of the human body are distributed by Nature as follows that is that 4 fingers make 1 palm, and 4 palms make 1 foot, 6 palms make 1 cubit; 4 cubits make a man’s height. And 4 … Continuar a ler

tempo (IV)

(turn, turn, turn,…) 1 There is a time for everything,    and a season for every activity under heaven: 2 a time to be born and a time to die,    a time to plant and a time to uproot, 3 a time to kill and a time to heal,    a time to tear … Continuar a ler

tempo (III)

* Tempus incognitum  O tempo que se enrola e desenrola Que gira e rodopia Que voa Que passa e nunca mais passa O tempo que não espera E desespera Que se mata e engana Ao fim ao cabo é uma trapaça! O tempo que se faz Que bate e rebate Que se conta e desconta … Continuar a ler